Houve menos alunos a abandonar a escola e a repetir o ano, no 4.º e 6.º anos de escolaridade, de acordo com o relatório Estatísticas da Educação 2013/14, divulgado esta terça-feira.

Os estudantes do 4º. ano de escolaridade são os responsáveis pelos valores de abandono escolar mais baixos de sempre, com apenas 3,3%. Mas o 6.º ano também traz boas notícias: a taxa de retenção fixou-se nos 11,6 %, menos 3,1% do que no ano letivo 2012/2013.

O apoio prestado a alunos que demonstram as primeiras dificuldades “e sobretudo a existência” de um período de acompanhamento extraordinário, disponível para os alunos que chumbam nas provas finais, terá contribuído para a descida do abandono e retenção, acredita o Ministério da Educação e Ciência.

Foi em 2013/2014 que os alunos de 6.º ano beneficiaram destas medidas pela primeira vez, e o segundo ano disponíveis para os estudantes do 4º ano.

No 9.º ano a taxa de retenção e desistência caiu de 17,5% para 15%. No total (7.º, 8.º e 9.º anos) o valor baixou 0,8, fixando-se nos 14,9%.

Menos alunos matriculados

No entanto, comparando com o ano 2012/2013, também houve menos 50553 alunos matriculados, do pré-escolar ao secundário. No total, inscreveram-se 1.708.083 alunos em todo o país e a descida da taxa de abandono e retenção pode ainda estar ligada ao menor número de alunos matriculados.

Pelo contrário, só no Continente, matricularam-se mais 1286 alunos no ensino secundário, reafirmando a tendência registada nos últimos anos.

No segundo ano de criação de ofertas de Ensino Vocacional (após um primeiro ano de experiência piloto realizada em 2012/13), estão matriculados nesta via de ensino cerca de 11 mil estudantes (Ensino Básico e Secundário).