A primeira fase do projeto “Encostas do Douro”, de requalificação da frente fluvial de Gaia, está concluída e representou um investimento de dois milhões de euros, estando a sua inauguração prevista para sexta-feira com música e espetáculo pirotécnico.

“Temos 18 quilómetros de costa de rio que queremos reabilitar como o que fizemos no passado com a costa de mar”, afirmou o vice-presidente da Câmara de Gaia, adiantando estar já programada uma classificação das Encostas do Douro como paisagem protegida.

Visando a valorização em termos paisagísticos, ambientais, económicos e sociais dos 18 quilómetros de costa de rio, o projeto municipal data de 2010, as obras arrancaram em 2012 mas só agora a primeira fase, de requalificação da frente fluvial do rio Douro no Areinho de Oliveira do Douro, foi terminada.

Representando um investimento de 2,2 milhões de euros, comparticipados em 1,4 milhões por fundos comunitários, a requalificação passou pela construção de um passadiço ciclo-pedonal de 550 metros em madeira entre o Cais de Quebrantões e o Jardim do Areinho de Oliveira do Douro, “o qual suporta também o coletor-emissário de águas residuais domésticas”, refere a autarquia em nota divulgada esta quinta-feira.

As intervenções realizadas incidiram numa extensão de cerca de um quilómetro, “promovendo a continuidade de ligação desde o Jardim do Areinho até à zona da Quinta da Alegria”, tendo sido substituídas as infraestruturas subterrâneas de abastecimento de água, drenagem de águas pluviais e residuais domésticas, infraestruturas elétricas, telecomunicações e iluminação pública.

“Foi instalada uma rede de iluminação pública em toda a área de intervenção, tornando este espaço convidativo à fruição pública, mesmo durante o período noturno”, destaca a autarquia, acrescentando que “nesta operação de valorização adotaram-se soluções técnicas e escolheram-se materiais que garantam maior longevidade, reduzida manutenção e, simultaneamente, a integração paisagística da obra na envolvente”.

O projeto teve como princípio geral a “manutenção da maior parte das árvores existentes”, tendo-se também previsto a plantação de novas espécies e a criação de “uma área verde que contorna toda a extensão da Alameda do Areinho”.

“Investimos nestes dois anos mais de dois milhões de euros em projetos orçados em 20 milhões de euros que queremos realizar nos próximos anos nas Encostas do Douro”, destacou o vice-presidente Patrocínio Azevedo segundo o qual está já programada uma intervenção no Areinho de Avintes, orçada em 1,5 milhões de euros.

A autarquia quer também avançar com a reabilitação da Escarpa da Serra com a criação de percursos pedonais e ciclovias a ligar a Ponte Luiz I e a Ponte D. Maria Pia, uma obra de cerca de oito milhões, e promover a reabilitação do bairro da Serra do Pilar, atualmente com cerca de 70 habitações.

Para a inauguração do novo passeio fluvial no Areínho de Oliveira do Douro a autarquia promove sexta-feira a partir das 21:30 um “GaiaSunset” com a música de Pedro Abrunhosa e um espetáculo pirotécnico multimédia.