A irmã da Rainha Isabel II de Inglaterra, a princesa Margarida, sempre foi a mais rebelde do duo, começa por escrever o espanhol ABC. Longe de obrigações reais, entregou-se aos prazeres que marcaram as décadas de 1960 e 1970 e chegou mesmo a casar-se com um plebeu de nome Anthony Armstrong-Jones (de quem viria, mais tarde, a divorciar-se). Agora, um novo livro — Can I Go Now? The Life of Sue Mengers, Hollywood’s First Superagent — oferece mais detalhes da vida da princesa, incluindo a história que dá conta da noite em que o ator Jack Nicholson ofereceu-lhe cocaína.

A obra de Brian Kellow consiste numa biografia de Sue Mengers, tida como a “primeira superagente de Hollywood”. Nela, o autor descreve, entre outros momentos, uma festa que Mengers deu em Beverly Hills, em 1979, em honra da princesa. E, durante a ocasião, Nicholson ter-se-à aproximando de Margarida para lhe oferecer cocaína com o propósito de a conhecer melhor.

Segundo o que é relatado no livro, a irmã da rainha recusou a oferenda do ator, mas nem por isso ficou ofendida. Ao invés, Margarida, que à data contava 49 anos e usava um vestido negro com assinatura da casa Dior, ficou por ali até às 00h30, tempo durante o qual dançou repetidamente com o também ator John Travolta, na altura famoso graças às suas participações em filmes como Febre de sábado à noite e Brilhantina — na festa estavam ainda celebridades como Sean Connery, Robin Williams e Barry Manilow.

Durante uma entrevista à Vanity Fair, feita em 2009, Mengers contou que a festa em causa acabou por ser um desastre: “De todas as vezes que [a princesa Margarida] olhava eu fazia uma vénia. Eu fiz vénias a noite inteira! Ela pensou que eu era uma idiota”. A “superagente” acabaria por falecer em 2011 aos 79 anos, vítima de uma pneumonia.