A Bentham Europe, que financia disputas judiciais de larga escala, anunciou esta quarta-feira que vai avançar com uma proposta de ação legal contra a Volkswagen em representação dos acionistas, através da sociedade de advogados Quinn Emanuel, segundo a agência Bloomberg.

Jeremy Marshall, responsável pelo departamento de investimento da Bentham explicou que o assunto está a ser discutido com acionistas da Volkswagen de todo o mundo. “Os eventos dos últimos dias que envolveram um gigante do setor automóvel foram extraordinários. É preciso um gigante do setor jurídico para ir até ao fundo desta ‘crise de confiança’, como referiu ontem Matthias Müller, novo presidente-executivo da Volkswagen”, disse.

No comunicado que disponibilizaram no site, afirmam que a acção vai procurar estabelecer que os acionistas têm direito a uma indemnização pelos prejuízos obtidos com as alegadas violações da Volkswagen. A Bentham Europe refere-se ao facto de a empresa ter falhado ao não informar o mercado do kit fraudulento, que afetou mais de 10 milhões de veículos durante um longo período de tempo.

“Estamos confiantes de que abordagem e reputação da Quinn Emanuel vai ajudar os acionistas a obter uma recompensa rápida e justa para as perdas que sofreram e que não foram culpa sua”, explicou Jeremy Marshall.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Todos os atuais e ex-acionistas da Volkswagen que compraram títulos da marca numa bolsa alemã entre 1 de janeiro de 2007 e 18 de setembro de 2015 (inclusive) – e que não tenham vendido esses títulos antes da abertura de mercado na segunda-feira, 21 de setembro — podem participar nesta proposta de ação legal.

Luís Oliveira, sócio da Miranda & Associados, também disse em entrevista ao Observador que os consumidores afetados pelo kit fraudulento da Volkswagen têm direito a ser indemnizados.