Ténis de Mesa

Rio2016. Fu Yu, Freitas e Apolónia apuram-se para os singulares de ténis de mesa

Portugal assegurou três vagas nos torneios de singulares de ténis de mesa dos Jogos Olímpicos do Rio2016, através de Fu Yu, em femininos, e Marcos Freitas e Tiago Apolónia, em masculinos.

Autor
  • Agência Lusa

Portugal assegurou esta quinta-feira três vagas nos torneios de singulares de ténis de mesa dos Jogos Olímpicos do Rio2016, através de Fu Yu, em femininos, e Marcos Freitas e Tiago Apolónia, em masculinos.

No torneio de qualificação olímpica europeia, que está a decorrer em Halmstad, Suécia, o destaque é mesmo a qualificação de Fu Yu, já que tanto Freitas como Apolónia sabiam que acabariam por ser selecionados através do ‘ranking’ continental, em última análise, e que a federação portuguesa da modalidade já tinha definido que os ia convocar.

Nas decisivas provas desta quinta-feira também competiram Jieni Shao, nos femininos, e João Geraldo, nos masculinos, que não conseguiram uma das oito vagas em disputa em cada setor, mas seguem para um torneio de repescagem, sexta-feira e sábado, por mais quatro vagas (2+2) a atribuir em Halmstad.

Fu Yu teve uma caminhada ‘tranquila’, como se pode avaliar pelos números das suas vitórias: 4-0 à croata Ivana Tubikanec, 4-0 à polaca Natalia Partyka e finalmente 4-1 à romena Daniela Monteiro Dodean – curiosamente, a mulher do internacional português João Monteiro, ausente por lesão e substituído por Geraldo.

Marcos Freitas, um dos melhores jogadores da Europa, ganhou ao checo Dimitri Prokopcov (4-2), ao romeno Ovidiu Ionescu (4-3) e ao turco Li Ahmet (4-1), assegurando aqui o ‘bilhete’ para o Rio de Janeiro.

Mais difícil foi a caminhada de Tiago Apolónia, que superou o ucraniano Gregory Menge (4-0), o croata Ruiwu Tam (4-3) e ainda o inglês Liam Pitchford (4-3).

Geraldo, que agarrou muito bem a vaga aberta pela ausência de Monteiro, superou um adversário grego e um esloveno, antes de cair frente ao croata Bojan Tokic, por 4-1. Jeni Shao ainda ganhou um jogo, a uma jogadora croata, para depois perder com a alemã Han Ying, por 4-1.

Portugal terá um quarto elemento nos Jogos Olímpicos, para completar a equipa masculina, que se apurará pelo ‘ranking’ de países – a equipa lusa é a quinta do mundo, segunda europeia, e somente está em causa se será cabeça de série ou não.

Com Marcos Freitas (15.º do mundo) e Tiago Apolónia (20.º), a federação lusa terá então de definir quem é o terceiro elemento efetivo, entre Monteiro (31.º) e Geraldo (75.º).

No próximo ‘ranking’ individual, em maio, as previsíveis vagas de Freitas e Apolónia beneficiarão outros jogadores.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Futuro

As novas tecnologias e o futuro do ser humano

Maria de Sousa Pereira Coutinho

A “utopia trans-humanista” reside em se considerar o progresso como uma transformação da nossa concepção de vida e da própria “condição humana”, a fim de se obter um outro ser humano, um “homem novo".

Mundial 2018

O orgulho da Nação /premium

Paulo de Almeida Sande

Eu, português, da Nação dos lusitanos, “Estou Aqui”, sou da têmpera dos antigos Descobridores, sou do tamanho do Cristiano, o melhor do Mundo. Tenho direito a ser feliz. Façam lá o favor de ganhar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)