Nasceram pelo menos mais duas crias de lince ibérico no Parque Natural do Vale do Guadiana, admitindo-se a existência de uma terceira. É a segunda ninhada confirmada no espaço de uma semana, depois de os técnicos do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) já terem informado sobre o nascimento da primeira cria desta espécie desde que começou o processo de reintrodução em 2014.

A cria agora nascida é filha de Lagunilla, uma fêmea de lince ibérico com dois anos que foi libertada na zona entre Castro Verde e Mértola há precisamente um ano, depois de ter nascido em cativeiro, no Centro de Reprodução de Zarza da Granadilla, em Espanha. As crias terão nascido entre 2 e 8 de março.

M2E82L224-224R385B328

Na semana passada confirmou-se que Jacarandá, a primeira fêmea a ser libertada em Portugal, tinha tido uma cria, agora com cerca de 45 dias de vida. Foi a primeira boa notícia para a espécie este ano. “Estas duas ocorrências constituem um dos mais relevantes marcos na já longa história da conservação do lince ibérico em Portugal”, escreve o ICNF em comunicado.

Em março, e apenas dois meses depois de ter sido colocada em liberdade, a fêmea Myrtilis foi encontrada morta. O mesmo já tinha acontecido com Kayakweru, que morreu envenenada em março de 2015.