Já ninguém pergunta o que significa vintage porque a nostalgia é uma das grandes tendências destes já adolescentes anos 2000. Com a vontade de lembrar e reviver o passado, muitas marcas antigas têm feito um comeback. O exemplo mais recente é o da finlandesa Nokia, que vai voltar ao mercado depois de ter sido adquirida pela Microsoft. Não se sabe se o Nokia 3310 voltará como era, mas ao ressurgimento da marca no mercado dos telemóveis junta-se um claro revival do flip phone. O telemóvel que se abre como uma concha e que já deu muito estilo a quem habitou o início dos anos 2000 está a viver um momento de sucesso entre aqueles que querem ter controlo sobre o telefone portátil e não deixar-se assoberbar por um smartphone que sabe fazer coisas de que nem desconfiamos.

A somar a esta marca há outras que foram descontinuadas e conseguiram depois voltar a vingar. O jornal britânico Telegraph fez uma lista encabeçada por Donald Trump, que correu risco de banca rota quatro vezes desde 2016. Nenhuma outra marca recuperou tão bem quanto ele — mais nenhuma está a candidatar-se à presidência dos Estados Unidos. No entanto, vale a pena ver a fotogaleria de marcas e produtos, portugueses e estrangeiros, que renasceram das cinzas como “fénixes”.