Com o acordo agora anunciado, a Isuzu poderá beneficiar de uma maior economia de escala, que lhe permitirá investir mais no desenvolvimento da próxima geração da D-Max, ao mesmo tempo que, para Mazda, esta solução é vista como uma forma de manter uma presença forte e de qualidade naqueles que são seus principais mercados. Recorde-se que a actual geração da Mazda BT-50 tem por base uma arquitectura desenvolvida pela Ford.

Apesar de só agora as duas companhias terem decidido avançar para uma parceria, o relacionamento entre Mazda e Isuzu já existe há mais de 10 anos, com a segunda a produzir, por exemplo, os camiões Mazda para o mercado japonês.

Por outro lado, a celebração desta nova parceria pode significar que aquela que é uma das mais antigas colaborações entre construtores automóveis, a Mazda e a Ford, poderá estar em vias de terminar. Rumores não tão distantes quanto isso falavam já na possibilidade destas duas companhias terminarem a ligação, embora, na altura, o parceiro preferencial apontado para a Mazda fosse não a Isuzu, mas a Toyota.