A Google teve de cancelar a conta de uma criança de 12 anos, em Torrevieja, Espanha, porque tinha uma dívida de cerca de 100 mil euros com o Google AdWords, o serviço de publicidade da companhia. Segundo relata o jornal El País, a criança acreditava que tinha assinado um serviço para cobrar por anúncios que apareceriam associados aos seus vídeos. O objetivo era “ficar famoso e conseguir dinheiro para comprar instrumentos para o seu grupo musical, ‘Los salerosos de Torrevieja'”, disse Inma Quesada, mãe da criança, à publicação.

“[O meu filho] Pensava que estava a ganhar dinheiro e não o contrário, e queria comprar instrumentos para o grupo e outra coisas, apesar de o seu amigo também lhe ter dito que ficariam ricos e teriam uma mansão”, descreveu.

De acordo com Quesada, o amigo da criança — também menor — facilitou-lhe o número da sua conta bancária, no valor de dois mil euros, que terá sido aberta pela família para que pagasse alguns gastos no seu futuro, como a carta de condução. Esta terá sido a única exigência para a abertura do serviço.

Em setembro de 2015, começaram a chegar as faturas da Google, que subiram exponencialmente de uns 15 euros, no início do contrato, até alcançar 19.700 euros, segundo relata o El País.

Os pais do amigo da criança apenas ficaram a saber dos gastos do filho quando o banco lhes ligou para informar do saldo negativo da conta. Como consequência, desativaram o canal de YouTube das crianças. Apesar de terem solicitado o bloqueio imediato da conta bancária, a Google continuou a cobrar pelo serviço. A família da criança denunciou o caso à companhia de tecnologia, por não entender como um menor de idade foi capaz de contratar um serviço sem que fosse verificada a sua idade.

A Google emitiu um comunicado de imprensa, esta terça-feira, a anunciar que iria “perdoar” a dívida do jovem youtuber, após tomar conhecimento do incidente. “Analisamos este caso e não recebemos dinheiro por parte do utilizador. Vamos cancelar o saldo pendente de AdWords. Muitos serviços online, incluindo o Google AdWords, têm restrições de uso por idade. Sabemos quão importante é manter o ambiente da família seguro na Internet”, reconheceu a empresa, citada pelo jornal El Mundo.