A FIFA revelou esta sexta-feira que a organização do Mundial de futebol de 2026 poderá ser feita por múltiplas nações e que o Comité de Competições do organismo pode rejeitar as candidaturas incumpridoras dos requisitos exigidos.

O conselho geral da FIFA, que estipulou essas duas decisões, não determinou, porém, um número específico de países organizadores da principal prova mundial de seleções.

Uma eventual ampliação da competição em 2026 — para 40 ou 48 participantes — será apenas discutida na próxima reunião do conselho, que decorrerá entre 09 e 10 de janeiro do próximo ano.

A FIFA estipulou que as associações europeias e asiáticas organizadoras das últimas edições do campeonato do mundo não poderão concorrer à organização do torneio em 2026.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O organismo, contudo, ressalvou que poderá eleger uma associação da UEFA, caso não haja nenhuma candidatura totalmente cumpridora das várias exigências.

“Teremos a possibilidade de abrir um processo de candidatura para os interessados desta confederação se nenhum dos projetos recebidos cumprir estritamente os requisitos técnicos e financeiros”, disse a FIFA em comunicado.

Na reunião de hoje, ficaram também aprovadas as regras do Mundial2018, na Rússia, o calendário internacional feminino para a época 2018/19 e as datas da cerimónia de entrega dos prémios da FIFA, a 09 de janeiro, e do 67.º congresso do organismo, no Bahrein, a 11 de maio.

O conselho geral da FIFA — agora composto por nove comités ao invés dos anteriores 26 – confirmou que haverá três reuniões por ano, concretamente em janeiro, maio e novembro.