Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Depois de um anúncio antecipado, no qual era garantido a apresentação da nova geração em mais um dos eventos “Go Further” que a marca da oval promove para dar a conhecer novidades, eis que a Ford cumpre o prometido e apresentou, em Colónia, na Alemanha, o novo Fiesta. Geração que, além da já esperada aposta tecnológica, apresentar-se-á não em uma, mas em quatro versões. Inclusivamente, numa espécie de crossover.

Construída especificamente para os mercados da Europa, Médio Oriente e África, a nova geração do popular compacto parte da mesma plataforma do antecessor, denominada B Global. Razão pela qual o novo modelo praticamente mantém as mesmas dimensões, com 4,04 m de comprimento, 1,73 m de largura, 1,48 m de altura e 2,49 m na distância entre eixos.

Mais surpreendente é o facto de, a partir da mesma carroçaria, a Ford prometer, nesta nova geração, quatro variantes: além da Titanium e ST-Line, duas completas novidades, como são a Vignale, a versão de luxo, e a Active, com uma imagem mais aventureira.

Todas elas exibem linhas exteriores que não são propriamente revolucionárias, mas ainda assim mais contemporâneas, sendo que no caso da inesperada Active, a diferenciação faz-se através da adopção de supostas protecções inferiores sob os pára-choques e barras longitudinais no tejadilho. Mantendo-se, tal como nas restantes variantes, as ópticas ligeiramente mais arredondadas, uma grelha frontal semelhante à do recentemente renovado Focus e farolins traseiros igualmente redesenhados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Já no interior, as transformações são bem mais notórias, com os inúmeros botões que anteriormente existiam na consola central a serem substituídos por um generoso ecrã a cores com o actualizado sistema de conectividade Ford Sync 3, que já deverá contar com Apple CarPlay e Android Auto. Sem esquecer, embora apenas para algumas versões, um sistema de som da conhecida marca Bang & Olufsen, com 10 altifalantes.

No domínio da segurança, e de série, o popular compacto oferece seis airbags, controlo electrónico de estabilidade, ajuda à travagem de emergência e aviso de falta de cinto de segurança em todos os lugares. A marca da oval não faz por menos e a anuncia ainda que o novo Fiesta será também o compacto tecnologicamente mais avançado, graças à disponibilização de um sistema de detecção de peões capaz de funcionar até de noite, assim como de um assistente ao estacionamento, o denominado Active Park Assist.

Ainda segundo a marca da oval, entre as tecnologias propostas poderá estar ainda o cylinder on demand (desactivação temporária de alguns dos cilindros do motor), o que permitirá ao 1.0 EcoBoost funcionar, em princípio, apenas com dois cilindros – poupando no consumo e nas emissões –, assim como a vectorização do binário, para optimizar o comportamento. Para isto contribuirá também uma nova suspensão, que promete uma melhoria da aderência em curva na ordem dos 10% e uma redução na distância da travagem em cerca de 8%.

O novo Ford Fiesta deverá chegar aos mercados europeus, entre os quais, o português, já no próximo ano, a preços ainda por definir.