O tipo intimida. Um matulão, barbudo, rosto esfíngico e ar de poucos amigos. Sorrir ele até sorri, mas só quando a “menina” está lá dentro e é golo do Benfica. Os defesas do Belenenses, esses, não o podem ver à frente. Literalmente. É que sempre que Mitroglou defrontou os do Restelo, seja na Luz ou como visitante, “molhou a sopa”. Sempre, sempre. E não o fez só por uma vez a cada jogo, não: são sete os golos do grego ao Belenenses, contando já com o desta segunda-feira à noite.

A relação de Mitroglou com o Belenenses, uma daquelas relações em que um dos relacionados diz que “é complicado” o que entre os dois se passa, começou pouco depois de Mitro chegar ao Benfica. Logo à quarta jornada da época passada, a 11 de setembro de 2015, e quando Mitroglou ainda só tinha um golo contra o Estoril e vinha de dois jogos “a seco”, voltou aos golos na Luz e contribuiria com dois para a goleada dos da casa: 6-0.

Na segunda volta, então no Restelo, o que era mau para o Belenenses só pioraria. É que Mitroglou não fez um, nem dois, mas um hat-trick de golos. Estávamos a 5 de fevereiro de 2016 e o Benfica voltaria a dar uma “sacada” de golos no derby, cinco no total — e nenhum contra.

Ok, foi a primeira época, Mitroglou ainda era um perfeito desconhecido para todos os que tinham por missão marcá-lo, mas esta temporada é que seria. Todos os olhos no grego e nem a baliza ele cheiraria. Dito… e (obviamente) não feito. À oitava jornada, de visita aos da Cruz de Cristo, o Benfica venceria 2-0 e o primeiro golo, o que desbloqueou o resultado, foi do suspeito do costume.

Esta noite, na Luz, e depois de André Almeida ter inaugurado o placard logo no começo do jogo, o Belenenses levantou a crista no recomeço — e até acertou no poste. Um levantar que Mitroglou logo tratou de baixar, com um golo na “gaveta” aos 52′, aumentando a sua contagem pessoal de golos ao Belenenses.

Ninguém como o adversário desta noite é tão “freguês” do grego. Mas o Braga e o Marítimo até andam lá perto, com cinco golos encaixados cada. Os minhotos não o voltam a ver esta temporada, mas os madeirenses têm que visitar o estádio da Luz em abril.