Na jazida de Monte Agudo, na região de Pombal (distrito de Leiria), um grupo de investigadores descobriu aquilo que poderá ser um conjunto de fósseis de dinossauros com 150 milhões de anos. As vértebras — que foram encontradas durante uma escavação realizada por paleontólogos portugueses e espanhóis do Museu Nacional de História Natural e da Ciência, do Instituto Dom Luiz da Universidade de Lisboa e do Grupo de Biologia Evolutiva da UNED de Madrid — ainda não foram identificados, mas tudo indica que terão pertencido a “dinossauros saurópes”. Os saurópedes eram grandes dinossauros vegetarianos, de longos pescoços e pequenas cabeças.

O achado é da “maior importância” porque estes grandes dinossauros “são conhecidos em distintos locais da Bacia Lusitânica mas, até ao momento, são ainda relativamente escassos nos níveis do Jurássico Superior da região de Pombal”, esclareceu Elisabete Malafaia, paleontóloga do Museu de História Natural, citada num comunicado divulgado esta terça-feira pelo organismo. Além destes, foram ainda “encontrados elementos fossilizados de tartarugas”.

Esta descoberta vem confirmar o elevado potencial paleontológico e interesse científico da região de Pombal para o conhecimento dos ecossistemas com dinossauros em Portugal do final do Jurássico”, considerou ainda a investigadora.

Estes fósseis vão agora “ser preparados e restaurados de forma a poderem integrar as coleções do Museu Nacional de História Natural e da Ciência”, explicou Elisabete Malafaia. No entanto, os trabalhos ainda não forma finalizados e já está planeada uma nova campanha de escavação para os próximos meses.