Fernando Santos afirmou esta terça-feira que a Rússia, próximo adversário de Portugal na Taça das Confederações, é uma equipa “muito poderosa” e rejeitou as acusações de que a sua equipa esteja a praticar um tipo de futebol pouco atrativo.

Eu tenho o meu conceito de bonito. Outros terão um conceito diferente. O meu conceito de bonito é ganhar. Prefiro muito mais ganhar. Se não ganhasse, Portugal não tinha sido campeão europeu e não estaríamos aqui a ter esta conversa. O resto pouco importa. A minha equipa disputa todos os jogos para ganhar. Desde que cheguei, em 21 jogos oficiais, perdemos uma vez”, afirmou Fernando Santos.

O selecionador português falava aos jornalistas na Arena Otkrytie, em Moscovo, na conferência de imprensa de antevisão do encontro de quarta-feira com a Rússia, da segunda jornada do grupo A da Taça das Confederações. “Não receamos ninguém, mas temos um enorme respeito pela Rússia, pelos seus jogadores. São jogadores de grande qualidade. É uma equipa que tem vindo a crescer. Fizeram um jogo muito bom com a Nova Zelândia. Temos que ter o respeito e a humildade necessários para saber que em campo vamos encontrar um adversário muito poderoso”, referiu.

Por ter apenas dois dias de descanso, Fernando Santos admitiu que poderá haver alterações no ‘onze’ inicial que Portugal vai apresentar perante os russos e voltou a assumir que tem “confiança ilimitada” nos seus jogadores, apesar do empate na estreia com o México (2-2). “Grande parte destes jogadores que estão aqui escreveram a página mais brilhante da história do futebol português. É bom não esquecer isso”, frisou.

O Portugal-Rússia está marcado para as 18h00 locais (16h00 de Lisboa) e terá arbitragem do italiano Gianluca Rocchi.