Rádio Observador

Poupança

As prestações não têm de ser um pesadelo para si

Tire da gaveta aqueles projetos de vida que achava impossíveis de realizar. Chegou a hora de os pôr em prática e nós mostramos como tornar o sonho em realidade, com uma prestação suave.

Getty Images/iStockphoto

Depois das restrições ao crédito nos anos da crise financeira, os bancos nacionais voltam a acelerar a concessão de crédito à economia. No crédito ao consumo, destinado às famílias, a taxa de variação anual traça uma curva ascendente de 2012 até 2017, revelam os dados do Banco de Portugal. Em termos homólogos, os empréstimos concedidos às famílias para consumo e outros fins, registaram uma oscilação positiva de 3,3% em setembro de 2016 para 5,3% no mesmo período deste ano, de acordo com os números divulgados em outubro pelo banco central.

A maioria dos bancos, que participou no inquérito mais recente do Banco de Portugal sobre o mercado de crédito, estima também um aumento da procura de crédito por parte das famílias, tanto para comprar casa como para o consumo.

Para acompanhar esta tendência o NOVO BANCO acaba de lançar uma campanha, dirigida ao Crédito Pessoal e Automóvel com o lema: “Temos a prestação dos seus sonhos”. Assumindo-se como parceiro de quem precisa de apoio para concretizar objetivos ou tornar os sonhos realidade, o NOVO BANCO oferece condições vantajosas e prestações suaves para que possa fazer aquela viagem que planeia há tanto tempo, voar para um destino paradisíaco na lua-de-mel, trocar o carro de família ou mesmo iniciar a remodelação da casa que tem em mente.

Menos de 15 euros mensais por cada mil euros

O NOVO BANCO garante que os sonhos têm agora um argumento forte para se concretizarem: 14,92 euros por mês por cada mil euros de empréstimo, com uma TAEG de 8,5% para Crédito Pessoal, com domiciliação de vencimento. O valor mínimo de financiamento é 5 de mil euros. Para montantes mais reduzidos, há também uma alternativa. Se apenas necessita de um pequeno crédito para realizar os seus sonhos pode recorrer ao Crédito Pessoal Essencial com uma TAEG de 12,5%.

E se surgir um imprevisto? Existe igualmente uma solução. Com o Crédito Pessoal Flexível, pode optar, a partir do 12º mês do contrato de crédito, por uma modalidade que lhe permite adiar o pagamento de uma prestação por ano, sem qualquer custo associado, desde que o financiamento tenha um prazo até 60 meses.

Quer comprar o seu primeiro carro ou trocar o antigo? Se a sua prioridade vai neste sentido o Crédito Automóvel do NOVO BANCO oferece também prestações mensais na ordem dos 14,47 euros por cada mil euros contratados com montantes e prazos para todas as gamas. Beneficia ainda da simplificação das burocracias e rapidez de resposta, bem como da possibilidade de ser o proprietário do seu automóvel, sem hipotecas ou reservas de propriedade. O empréstimo está limitado a viaturas que tenham até 10 anos sobre o primeiro registo aquando da contratação do crédito.

Seja qual for o crédito de que necessita para tornar os seus sonhos realidade, o NOVO BANCO garante que analisará o pedido em 24 horas e oferece uma ampla versatilidade. Os clientes têm a possibilidade de um período de carência de capital até 6 meses, consoante o prazo do empréstimo, ou de um valor residual de 30% do montante de financiamento.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt
Poupança

O capital liberta

André Abrantes Amaral
221

É do ataque constante ao capital que advêm as empresas descapitalizadas, as famílias endividadas e um Estado sujeito a três resgates internacionais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)