Procurando encontrar uma solução para aquela que é uma das cinco principais causas de acidentes de viação, o adormecer do condutor ao volante, a Hyundai Mobis vai apresentar, já na próxima edição do Consumer Electronics Show, a sua mais recente tecnologia de segurança, destinada a prevenir este tipo de casos.

Denominada Departed Driver Rescue & Exit Manouver (DDRM), segundo revela o fabricante automóvel sul-coreano, esta nova solução recorre a câmaras de infravermelhos, para monitorizar e analisar as expressões faciais e olhos do condutor, com o propósito de detectar sinais de cansaço ou adormecimento. Isto, ao mesmo tempo que acompanha a actuação dos vários sistemas de assistência à condução, à procura de situações em que o condutor comece a ter saídas não intencionais da sua faixa de rodagem, ou até mesmo movimentos erráticos, consistentes com uma possível sonolência.

A partir do momento em que a DDRM conclua que o condutor adormeceu ao volante ou, simplesmente, não responde aos estímulos, o próprio sistema será capaz de assumir o controlo do veículo, graças à presença de tecnologias de condução autónoma de nível 4. Conduzindo, a partir daí, até um local seguro onde encostar.

Esta nova solução é particularmente interessante por utilizar muita da tecnologia que já se encontra presente nos carros dos nossos dias. Como é o caso do sistema de direcção assistida electricamente, câmaras, sensores de radar e uma unidade GPS. Aliando isso ao facto de o veículo apenas ter de circular, em modo autónomo, em distâncias muito curtas – à partida, pouco mais de 1,6 quilómetros -, esta proposta parece, desde logo, mais barata e menos complexa do que, por exemplo, os genuínos sistemas de condução autónoma.

Segundo a Hyundai Mobis, a DDRM poderá entrar em comercialização em 2022. Exigindo, como único requisito, a inclusão de uma “acessível câmara de infravermelhos”, naqueles que são já os carros dos nossos dias. Investimento pequeno, face à possibilidade de aumentar substancialmente a segurança na estrada.