Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Modelo mais offroad na oferta da norte-americana Tesla, o Model X não tem, contudo, construído a sua carreira com base propriamente nas suas supostas aptidões para andar fora de estrada. Algo que, aliás, já levou alguns admiradores da marca fundada por Elon Musk a questionarem-se até que ponto este modelo conseguirá, por exemplo, sobreviver num ambiente que decididamente não parece ser o seu, a passear por montes e vales, longe do asfalto.

A demonstração de que afinal não será bem assim, e de que o Model X tem efectivamente potencialidades para o todo-o-terreno, acaba de ser feita por um fotógrafo que trabalha para o Adventure Racing World Championships. E cujo último trabalho foi seguir os “aventureiros” profissionais de cerca de 50 equipas oriundas de todo o mundo, ao longo de mais de 800 km de território inóspito no estado norte-americano do Wyoming. Trajecto que estes cumpriram das mais diferentes formas: em bicicleta de montanha, a pé ou até mesmo de canoa, por cursos de água.

Embora alertado para que seria difícil, senão mesmo impossível, acompanhar a evolução dos atletas, o fotógrafo em questão, de nome Chris Owen Halper, decidiu levar a cabo a sua missão ao volante de um Model X. Ora, esta opção colocou-lhe desde logo algumas dificuldades devido à questão das autonomias, uma vez que a região onde a competição teria lugar apresentava distâncias de cerca de 322 km entre estações de serviço com carregadores eléctricos.

A dificultar ainda mais as coisas, não só o facto de os trilhos por onde o carro ia passar não serem propriamente fáceis, como também a decisão do condutor de levar mais um atrelado, para transporte do seu equipamento – tudo extras que obrigavam a maiores esforços da parte da viatura e, consequentemente, a maiores gastos de energia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para preparar-se para qualquer eventualidade, Chris decidiu equipar-se com uma série de fichas e adaptadores, de forma a poder recarregar, um pouco que fosse, as baterias, em qualquer lugar. Algo que veio mesmo a acontecer, com o fotógrafo a aproveitar todas as oportunidades para ganhar mais alguns quilómetros de energia.

O desafio decorreu entre 2 e 27 de Agosto e obrigou homem e máquina a cumprir um total de 11.311 km, desde a cidade canadiana de Toronto, passando pelos estados norte-americanos do Wyoming, Utah e de regresso ao Wyoming, terminando em Toronto, com a aventura a ficar registada em vídeo, para a posteridade.

[jwplatform qrXufPo9]