212kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

O MEO ajuda-o a poupar, simule aqui.

Os dois falhanços de Gelson e a eficácia do Desp. Aves: os lances da final da Taça de Portugal

Este artigo tem mais de 2 anos

Quim roubou dois golos a Gelson e Alexandre Guedes não desperdiçou as duas oportunidades que teve. Montero ainda reduziu mas não foi suficiente. Veja os lances mais importantes da final da Taça.

i

Alexandre Guedes mergulhou para o primeiro golo do Desp. Aves

Filipe Amorim / Global Imagens

Alexandre Guedes mergulhou para o primeiro golo do Desp. Aves

Filipe Amorim / Global Imagens

A final da Taça de Portugal até começou com um Sporting mais intenso e um Desp. Aves na expectativa. A partir dos cinco minutos do jogo, ainda que os verde e brancos continuassem a ter mais iniciativa e vontade de chegar à área do veterano Quim, os avenses apostaram no contra-ataque e causaram muitas dores de cabeça a Mathieu, Coates e companhia.

Gelson poderia ter colocado os leões na frente do marcador por duas vezes, aos dez e aos 14 minutos, mas foi Alexandre Guedes – avançado formado no Sporting – que acabou por desfazer o empate a zero.

Já na segunda parte, Bas Dost rematou por cima da baliza do Aves e um livre direto de Mathieu deixou as luvas de Quim bem quentinhas. Mas, mais uma vez, foi Alexandre Guedes a aproveitar. O avançado de 24 anos voltou a marcar e fez com que muitos adeptos vestidos de verde e branco abandonassem o Estádio Nacional. Fredy Montero ainda reduziu mas não foi suficiente para a remontada leonina.

Veja os lances mais importantes da final da Taça de Portugal que o Desp. Aves venceu por 2-1.

Aos dez minutos, a bola é lançada para a ala esquerda do ataque do Sporting. Marcos Acuña domina, coloca de imediato na área avense e a bola encontra Gelson Martins. O avançado português, que vai estar no Mundial da Rússia, antecipa-se à defesa do Desp. Aves mas é Quim, antigo guarda-redes do Benfica e da Seleção Nacional, que impede o que seria o primeiro golo da partida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quatro minutos depois, aos 14′, um toque de classe de Bruno Fernandes deixa Sebastián Coates com espaço na ala direita do ataque leonino. O central encarnou por uns segundos o espírito de Diego Armando Maradona, e amorteceu de primeira e de calcanhar para Gelson. O número 77 do Sporting volta a ficar na cara do guarda-redes do Desp. Aves e, mais uma vez, Quim foi mais forte.

É a velha máxima: “Quem não marca sofre”. E depois das duas oportunidades falhadas por Gelson Martins, Alexandre Guedes aproveitou. Uma bonita jogada de contra ataque da equipa da Vila das Aves: Braga recebe, conduz, deixa em Petrolina, que faz o cruzamento que encontra o cabeceamento num mergulho de peixe de Alexandre Guedes ao segundo poste.

Já na segunda parte, Montero cruzou uma vez, cruzou outra vez, e acabou por encontrar Bas Dost. O avançado holandês rematou de primeira, de pé esquerdo, por cima da baliza de Quim.

Uma falta sobre Montero deu livre direto a descair para o canto esquerdo da área do Desp. Aves. Mathieu atirou em força e Quim decidiu não arriscar agarrar a bola: empurrou por cima da trave.

Gelson perde a bola no meio campo defensivo do Aves e esta é rapidamente bombeada para a frente. Encontra Alexandre Guedes – outra vez Alexandre Guedes – que conduz, ultrapassa Coates e atira para dentro da baliza de Rui Patrício.

O golo de honra dos leões. Bola pontapeada para a frente e o central Coates cabeceia sem critério para dentro da grande área. Encontra Montero, que domina com o peito e consegue o golo com um pontapé meio bicicleta meio moinho desajeitado.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.