Mundial 2018

A Espanha e a sua versão mais surreal em busca da tempestade perfeita: “Parece um funeral e amanhã começa o Mundial”

Conferência com atraso, capitão a responder a mais perguntas do que o treinador, Lopetegui a falar uma hora depois em Madrid. "Parece que estamos num funeral e amanhã começa o Mundial", diz Ramos.

AFP/Getty Images

Enviado especial do Observador à Rússia (em Sochi)

“Já viste isto? Agora o Lopetegui fala em Madrid à mesma hora da conferência”, atira um jornalista espanhol para um colega que estava na sala de imprensa. Afinal, com a diferença horária, é uma hora depois. “É a mesma coisa, tem tudo menos de normal”, reforçou. Desde a “noite das facas longas”, como descreve o El Mundo, ao novo “resgate de Jorge Mendes a Florentino”, como destaca o El Confidencial, mudam os ângulos mas o assunto é o mesmo: por muito que se queira dar a volta ao que se está a viver, a Espanha atravessa um momento surreal que tentará transformar contra Portugal numa espécie de tempestade perfeita. Em paralelo, houve também a confirmação dessa fase completamente atípica já em Sochi, durante as conferências de antevisão.

Pormenor número 1: quebrando por completo o rigor suíço da organização da FIFA, a conferência começou com um atraso de dez minutos. Sim, é verdade, dez minutos não são nada; neste contexto do Mundial, são muito. Até demais. Pormenor número 2: a certa altura da conferência, Paloma Antoranz, responsável pela comunicação da seleção espanhola, teve de parar a conversa para “recordar” que o Mundial começava amanhã e que convinha falar também sobre o jogo de Portugal. Pormenor número 3: Sergio Ramos, o capitão, acabou por responder quase ao dobro das questões de Hierro, o agora treinador. Tudo ao contrário, ao ponto do próprio central atirar uma frase que marcou a conferência: “Parece que estamos num funeral e amanhã começa o Mundial”.

O jogador do Real Madrid, que de acordo com vários meios terá sido o maior defensor da continuidade de Julen Lopetegui no cargo (ao contrário dos companheiros do Barcelona), conseguiu fintar essa questão particular mas acabou por continuar a embater na perguntar que todos queriam ver respondida: como foram aquelas horas vividas no estádio?

“Temos de virar a página depois de um momento nada agradável mas que faz parte. A Espanha tem de estar sempre acima de tudo e todos e, se consideraram que era o melhor para todos, posso apenas dizer que não há ninguém melhor do que Fernando [Hierro] para ocupar a vaga de Julen [Lopetegui]. É alguém que admirados e dos mais idóneos que existem para que possamos continuar com a mesma ilusão e os mesmos sinhos em relação ao Mundial. Se dei opinião? Não somos nós que tomamos as decisões, só queremos deixar de falar nisso o mais depressa possível. Objetivos? ‘Passito a passito’, jogo a jogo…”, disse.

Temos de aproveitar o trabalho que está feito, é impossível mudar algo do dia para a noite. O que quero é que a Espanha continue a jogar bem e bonito. Temos muito respeito pela seleção que é campeã da Europa, que tem um dos melhores do mundo e um selecionador com muita experiência.”, destacou o treinador Fernando Hierro

Sobre Portugal, duas referências especiais. Ao coletivo, “o campeão da Europa”, naquele que “tem tudo para ser um grande jogo”, e ao companheiro de equipa, Cristiano Ronaldo. “Claro que prefiro sempre ter a favor do que contra, terminou a época de uma forma grandiosa e é um alarme permanente. Mas é uma seleção muito completa, boa na parte ofensiva e muito segura atrás. Conseguiram criar um bloco muito competitivo”, resumiu a propósito do primeiro adversário no Mundial, antes de voltar a focar a ideia na importância de olhar em frente em vez de estar a dissecar tudo o que se tem passado.

“São decisões que se tomam e são outros, a nossa parte é a desportiva e só podemos fazer algo dentro de campo. É altura de deixar um pouco mais de lado as questões pessoais porque os problemas são sempre uma oportunidade de crescer. Críticas sobre o lance com Salah na final da Champions? Estou tranquilo, de consciência tranquila e não perco um segundo com isso”, rematou.

A seu lado estava Hierro, o selecionador que alguns órgãos descrevem como o “pai dos jogadores”. “Temos de aproveitar o trabalho que está feito, é impossível mudar algo do dia para a noite. O que quero é que a Espanha continue a jogar bem e bonito. Temos muito respeito pela seleção que é campeã da Europa, que tem um dos melhores do mundo e um selecionador com muita experiência. Só temos de prolongar o trabalho das últimas duas semanas e fazer bem as coisas. Tenho grande confiança nos jogadores”, referiu, colocando o encontro com Portugal como “uma das três grandes finais que existirão nos grupos do Mundial”. “Estamos num Mundial, os jogadores têm de aproveitar e desfrutar com paixão, com a certeza de que demos 100% de nós em todos os encontros que teremos na Rússia”, concluiu o antigo central e médio da Espanha… e do Real Madrid.

Uma hora depois, Julen Lopetegui era apresentado e numa conferência com muita emoção, onde admitiu entre lágrimas a amargura por não estar presente no Mundial no comando da Espanha, com quem nunca perdeu (14 vitórias e seis empates): “Ontem foi o dia mais triste da minha vida desde a morte da minha mãe mas hoje é o mais feliz”, disse o técnico, já depois de Florentino Pérez ter criticado a atitude de Rubiales em dispensar o treinador. Veremos até onde irá este momento surreal, sobretudo numa altura em que alguns cronistas dos maiores jornais do país levantam a possibilidade de castigos ao Real…

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)