“Bom filho a casa torna” é daquelas expressões que, de vez em quando, encaixam que nem uma luva em determinados acontecimentos. Exemplo disso é a novidade de que o chef Rui Silvestre está de volta ao Algarve, desta vez aos comandos do restaurante Vistas, espaço de fine dining do resort de luxo Monte Rei, em Vila Nova de Cacela.

Natural de Valongo, no norte do país, mas radicado a sul desde muito pequeno, Silvestre foi a grande surpresa do Guia Michelin Português quando em novembro de 2015 foi o único chef português a ser distinguido com um astro pelo seu trabalho no Bon Bon, no Carvoeiro. Há pouco meses, porém, o cozinheiro decidiu mudar de rumo, abandonando o espaço que ajudou a consagrar —  Louis Anjos substituiu-o — e mudando-se para Lisboa, onde inaugurou o Quorum.

Nessa altura, o chef já tinha planeado regressar ao sul, abrindo um restaurante de fine dining puro — o Quorum tem um registo ligeiramente mais descontraído — onde a ambição das estrelas era facto certo. Alguns contratempos negociais fizeram com que essa ambição se atrasasse até que surge esta oportunidade.

Desgastado pela dificuldade de manter uma equipa de cozinha fixa e pela distância em relação à cidade onde mora a família, o chef Albano Lourenço — consagrado cozinheiro que geriu durante vários anos os desígnios do restaurante da Quinta das Lágrimas, em Coimbra — decidiu abandonar a sua posição como líder do Vistas, deixando o espaço em aberto para Silvestre.

A partir desta semana, aquilo que se servirá no Vistas será, portanto, a cozinha de Silvestre. “Com o passar do tempo vamos começar a criar mais pratos, por agora, a carta terá alguns que já tinha no meu repertório”, explicou o cozinheiro depois do jantar onde foi feita a transição.

O Monte Rei está numa fase de expansão, estando previsto que daqui a sensivelmente quatro anos inaugure uma nova secção de alojamentos. Até agora, o espaço dispunha de luxuosas “villas”, pequenas casas que podiam ser alugadas, no futuro vão existir complexos de suites que vão funcionar num registo mais próximo do hotel normal. Este projeto de crescimento — sempre orientado para valorizar o campo de golf do resort, um dos melhores do mundo — vai contemplar outro restaurante de fine dining que Rui Silvestre também irá orientar.

A ambição das estrelas é clara e assumida. Silvestre tem historial com o Guia Vermelho e isso pode ser bom presságio para as ambições do projeto. Entretanto, em Lisboa, o chef Tiago Emanuel Santos (que já tinha orientado a cozinha do hotel Areias do Seixo, em Santa Cruz) será o homem forte do Quorum.