Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Com 11 anos, chegava ao Sp. Braga para dar início a uma carreira que, sem sombra de dúvidas, se antevê promissora. Aos 16, ainda com idade de juvenil, dava os primeiros passos no futebol sénior, estreando-se pela equipa B dos minhotos e rubricando o primeiro contrato profissional. É mais ou menos por essa altura que é nomeado para uma lista do Transfermarkt que dava a conhecer ao mundo os 24 maiores talentos internacionais que estavam a despontar. Decide, então, apresentar-se ao público em geral: “O jogador com o qual mais me identifico na forma de jogar é o Riyad Mahrez“, contou, em entrevista precisamente ao Transfermarkt . A 6 de julho de 2018, António Salvador, presidente do Sp. Braga, renova-lhe o contrato até 2023, blindando-o com uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros; umas semanas depois, a aposta do líder bracarense revela-se acertada, com Francisco Trincão a ser uma das principais figuras da Seleção Nacional Sub-19 que conquistou o Europeu ao vencer a Itália na final. Agora, ano e meio depois, o avançado de 20 anos tornou-se o jogador mais valioso da história do Sp. Braga, com o Barcelona a pagar os 30 milhões da cláusula para contar com Trincão a partir da próxima temporada.

Tudo começou com cinco anos, em Viana do Castelo, de onde Francisco Trincão é originário. O extremo esquerdo, que também pode atuar do lado direito ou até mesmo na zona central do terreno, deu os primeiros passos no futebol ao serviço do Vianense, clube da terra, onde esteve dois anos. Pelo meio, uma passagem pelo FC Porto, que poderia ter sido decisiva para o rumo da sua carreira, mas que se revelou fugaz devido à vontade dos pais. “Ainda era muito novo, tinha apenas nove anos. Era muito longe, muito complicado. Os meus pais acharam que era muito cedo para encarar o futebol já de uma forma tão profissional”, revela o minhoto.

O avançado fez parte da geração Sub-19 que conquistou o Europeu há dois anos

Regressado ao Vianense, Trincão dá nas vistas e chama a atenção do Sp. Braga, que o leva para as suas escolinhas, onde passa três anos. Nos iniciados, é emprestado ao modesto Palmeiras FC, antes de voltar aos arsenalistas, onde dá início a uma ascensão vertiginosa. No ano de 2015, Francisco Trincão tem 16 anos (idade de juvenil), mas já é visto como um profissional. Assim o mostram os responsáveis minhotos, que deixam clara a aposta feita na prata da casa e, em janeiro, assinam com o jovem extremo o seu primeiro contrato profissional. “Este é um momento especial, porque estou a viver um sonho. Gosto deste clube e sei da sua grandeza, por isso assinar este contrato representa uma enorme satisfação”, confessava, na altura, ao site do clube bracarense.

Estava dado o mote para o que se seguiria: o dia 2 de abril de 2015 marca a estreia de Francisco Trincão no futebol sénior, com o Freamunde a apadrinhar o batismo do minhoto. O Sp. Braga até perdeu e Trincão jogou apenas nove minutos, mas o que importa isso para um jovem de 16 anos acabado de se estrear no mundo dos seniores? Nessa época, defrontou ainda o Olhanense, o Sporting e o FC Porto na formação secundária do Sp. Braga, que competia na Segunda Liga portuguesa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

[Veja os melhores momentos de Francisco Trincão]

Já internacional Sub-17 por Portugal, chega ao plantel júnior, sem parar de somar presenças na formação secundária bracarense. Dá nas vistas no campeonato de juniores, onde soma nove golos em 23 partidas e chama a atenção dos tubarões europeus. São vários os emblemas internacionais interessados no jovem português, mas é o Atl. Madrid quem mais se aproxima do minhoto, com os alemães do RB Leipzig a seguirem de perto a corrida. António Salvador deixa clara a sua posição: o jovem só sai pela cláusula, 30 milhões de euros. Os espanhóis tentam baixar o preço, fala-se de que o negócio poderia ser feito algures entre os 7 e os 12 milhões, mas Trincão permanece no Sp. Braga.

No final de 2017, já internacional Sub-18 e Sub-19, Francisco Trincão continua a espalhar magia pelo campo. Virtuoso, criativo e incorrigível, é dono de um pé esquerdo capaz de deixar qualquer adversário com a cabeça às voltas. Abel Ferreira, ex-técnico da equipa principal bracarense, não fica indiferente ao talento do jovem e chama-o para uma convocatória, em jogo a contar para a Liga Europa, frente à formação turca do Basaksehir. Por essa ocasião, António Salvador deixa um elogio à maturidade de Trincão, em jeito de brincadeira: “Quando ele ia viajar connosco é que me apercebi que era menor de idade porque tive de pedir uma autorização parental para poder viajar. Pela sua maturidade, supunha que já tinha 19 anos“, atira o líder bracarense. Francisco Trincão não deixa o presidente sem resposta: “Senti-me bem, orgulhoso. É sempre bom ser elogiado pelo representante máximo do Sp. Braga”.

[As habilidades de Francisco Trincão, num duelo com Pedro Matos, companheiros no Sp. Braga B]

Estreou-se na equipa principal do Sp. Braga em dezembro de 2018, numa goleada imposta pelos minhotos ao V. Setúbal na fase de grupos da Taça da Liga. Cinco dias depois, fez o primeiro jogo na Primeira Liga, ao entrar para substituir Dyego Sousa nos últimos minutos de uma derrota na Pedreira contra o Marítimo. O primeiro golo, esse, tardou um ano: só apareceu no passado mês de dezembro, na fase de grupos da Liga Europa, contra o Slovan Bratislava. Estreou-se a titular já com Rúben Amorim, no primeiro jogo que o atual treinador minhoto fez na equipa principal, e conquistou o primeiro título no passado fim de semana, com o Sp. Braga a vencer o FC Porto na final da Taça da Liga.

Aos 20 anos, o minhoto tem Cristiano Ronaldo como ídolo número um — saiu do Europeu Sub-19 com a alcunha de “novo Cristiano Ronaldo”, que a imprensa espanhola tem repetido até à exaustão –, Neymar como referência e vê em Mahrez o jogador com a forma de jogar mais semelhante à sua. Já cinco vezes internacional pela Seleção Sub-21, Francisco Trincão ainda tem uma segunda metade de temporada para fazer em Braga antes de se juntar a Messi e companhia no verão. Em Camp Nou, onde se aguarda com entusiasmo a chegada do jovem português, vai ficar com uma cláusula astronómica de 500 milhões de euros (só Messi e Griezmann têm cláusulas superiores).