Comboios

Governo garante que CP recuperou regularidade na circulação de comboios

118

O Governo garantiu que a circulação de comboios da CP atingiu uma taxa de regularidade de 99% nas duas primeiras semanas de agosto, uma recuperação para os níveis históricos da empresa.

JOSÉ COELHO/LUSA

O Governo garantiu hoje que a circulação de comboios da CP atingiu uma taxa de regularidade de 99% nas duas primeiras semanas de agosto, uma recuperação para os níveis históricos da empresa.

Num comunicado à imprensa, o gabinete do ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, avançou que “os dados preliminares das duas primeiras semanas de agosto deste ano apontam para que a circulação de comboios da CP tenha atingido novamente uma taxa de regularidade acima dos 99%, o que representa uma recuperação para os níveis históricos da empresa”.

O comunicado surge após “notícias e declarações públicas que colocam em causa o serviço prestado pela CP, com recurso a expressões como ‘rutura’ e ‘colapso iminente'”, sublinha a mesma fonte.

A taxa de regularidade abrange um período (de 04 a 06 de agosto), em que a circulação de comboios foi afetada pelo calor extremo e que obrigou a IP — Infraestruturas de Portugal e a CP a determinarem algumas restrições e condicionamentos, diz o ministério.

Também na segunda-feira, dia 13, o índice de regularidade da CP foi de 99,62%, com destaque para os 100% alcançados nas linhas de Sintra e do Oeste e os 98,8% na linha de Cascais.

“A regularidade de circulação da CP, ou seja, a taxa de comboios efetivamente realizados relativamente aos previstos, foi afetada, em alguns momentos do primeiro semestre do ano e apenas em algumas linhas, por fatores operacionais especialmente relacionados com o material circulante a diesel”, explica a mesma fonte.

O gabinete de Pedro Marques salienta ainda que os serviços suburbanos e de longo curso “mantiveram os seus excelentes indicadores de regularidade”.

Durante o primeiro semestre de 2018, a taxa média de regularidade foi de 97,2%, tendo o mês de junho sido aquele com o pior desempenho (91,4%).

O ministério recorda que a administração da CP, em articulação com o Governo, tomou no início do verão um conjunto de iniciativas para melhorar os indicadores de desempenho, entre as quais a introdução de horários de verão, “os quais estão a possibilitar a recuperação dos ciclos de manutenção do material circulante”.

“Esses horários, nas linhas de Sintra, Cascais e Oeste, manter-se-ão em vigor apenas durante algumas semanas, sendo que os horários serão repostos em setembro (Cascais), outubro (Sintra) e novembro (Oeste)”, lê-se no comunicado.

Além disso, recorda, o setor da manutenção do material circulante está a ser reforçado, com o recrutamento de mais 102 trabalhadores para a EMEF, cujo processo já está a decorrer.

O ministério lembra ainda que, até ao final do ano, deverá ser assegurado aluguer de mais material circulante a Espanha, enquanto é ultimado o caderno de encargos de um concurso internacional para aquisição de comboios.

Em 2018, a CP transportou 122 milhões de passageiros, um crescimento de 6,3% face ao ano anterior.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Inovação

Web Summit e provincianismo

Fernando Pinto Santos
100

Porque é a investigação académica tão desconsiderada em Portugal? Talvez porque moldes ou toalhas não sejam tão glamorosos como uma app com um nome estrangeiro numa conferência com o nome de Summit.

Eleições Europeias

Querida Europa...

Inês Pina

Sabemos que nos pedes para votarmos de cinco em cinco anos, nem é muito, mas olha é uma maçada! É sempre no dia em que o primo casa, a viagem está marcada, em que há almoço de família…

Educação

Aprendizagem combinada: o futuro do ensino

Patrick Götz

Só integrando a tecnologia na escola se pode dar resposta às necessidades do futuro, no qual os futuros trabalhadores, mesmo que não trabalhando na indústria tecnológica, terão de possuir conhecimento

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)