O Correio da Manhã avançou esta segunda-feira que Bruno de Carvalho, antigo líder do Sporting, tinha enviado SMS a todos os jogadores do plantel leonino na antecâmara do último encontro em Alvalade, frente ao V. Setúbal (2-1). O ex-número 1, destituído em Assembleia Geral a 23 de junho, admitiu à tarde a mensagem mas, numa publicação no Facebook, desmentiu o seu teor.

De acordo com a publicação, as SMS eram assinadas no final com “o vosso presidente”, algo que terá causado desconforto nos atletas verde e brancos, algo confidenciado a um elemento da SAD do Sporting. Estas mensagens antes da partida com os sadinos seriam ainda personalizadas para, caso fossem divulgadas, pudesse ser mais fácil identificar o recetor das mesmas. Tudo isto no dia em que Bruno de Carvalho e a Comissão de Gestão do clube entraram de novo em rota de colisão, com conferências de ambas as partes que colocaram ainda mais visíveis as posições de ambas as partes a propósito de um possível regresso a Alvalade.

Em resposta à notícia, sem mencionar a mesma, Bruno de Carvalho assumiu que enviou as tais SMS – acrescentando que já o tinha feito após o triunfo em Moreira de Cónegos, na abertura do Campeonato – mas desmentiu que tenha assinado as mesmas como “o vosso presidente”, acrescentando ainda que a mensagem na véspera do jogo com o V. Setúbal “não foi personalizada”.

“Como foi sempre meu hábito enviei mensagens aos atletas do Sporting. Uma após o jogo de Moreira de Cónegos, pois não consegui enviar antes, a dar os parabéns pelo excelente resultado. Essa foi personalizada pois uns mereciam uma força adicional, ou pelo regresso depois de empréstimo, ou por ser o primeiro jogo oficial, ou por serem novos e necessitarem de um apoio extra. Depois enviei uma antes do jogo do Setúbal, não personalizada, também devido ao sucedido no dia anterior na SAD e das notícias que foram logo veiculadas de um suposto mau estar, apenas recordando (com o vídeo da festa no balneário) os grandes momentos que passámos na final da Taça da Liga juntos (jogo também com o Setúbal) e dizendo que quem vive assim com a ‘sua família” (atletas) jamais lhes poderia querer fazer mal e mostrando que o futebol é uma festa onde a vitória traz a alegria suprema!”, escreveu o antigo presidente na sua página pessoal do Facebook.

“Sim, mandei as mensagens por respeito de cinco anos de trabalho conjunto e porque tenho saudades deles. Saudades de estar ali, de poder dar a minha quota parte de ajuda, de poder ser mais um naquele anel mágico antes de cada jogo, de poder ser a voz de todos os sportinguistas em todas as modalidades do clube, exigindo atitude e compromisso totais pois queremos ser felizes. Tenho saudades dos atletas e dos adeptos pois foi com o seu carinho e apoio que chegámos até aqui. Voltar tudo atrás. Comum projeto tão bom a decorrer ir dar um ‘tiro no escuro’. Colocar alguém que não tem nenhuma experiência, que não está nos meandros do desporto e já os estudou e fez um percurso que os fez respeitá-lo e ao clube, que terá de aprender tudo (mesmo tudo – interno e externo) e que terá de ter uma força sobre-humana para vencer, quando estávamos tão próximos, não é justo para os superiores interesses do clube e dos sportinguistas”, acrescentou.