Tecnologia

Portuguesa CaetanoBus é primeira na Europa a produzir autocarros movidos a hidrogénio

1.619

O lançamento do "Fuel Cell Bus" aconteceu em Lisboa, na sequência da passagem pela cidade do Energy Observer, a primeira embarcação em todo o mundo movida a hidrogénio de forma autónoma.

ESTELA SILVA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A CaetanoBus, empresa do grupo Salvador Caetano especializada no fabrico de autocarros, vai ser a primeira companhia na Europa a produzir e comercializar autocarros movidos a hidrogénio com tecnologia Toyota, foi esta quarta-feira anunciado.

Em comunicado, a Toyota Caetano Portugal adianta que “os primeiros autocarros de pilha de combustível com zero emissões começarão a sair das linhas da Caetanobus no final do próximo ano, com destino ao mercado europeu”. Salientando ser “a primeira empresa na Europa a beneficiar da tecnologia líder de pilha de combustível da Toyota (FCEV)”, a CaetanoBus adianta que o “gigante” japonês lhe irá fornecer “os seus sistemas de pilha de combustível, tanques de hidrogénio e outros componentes chave”.

Com esta parceria a Toyota reforça o seu contributo para a criação de uma sociedade baseada no hidrogénio, promovendo a tecnologia de pilha de combustível aplicada a outros meios de transporte que não apenas os veículos ligeiros de passageiros”, destaca, considerando tratar-se de “mais um passo significativo no desenvolvimento de soluções para o transporte coletivo de passageiros com zero emissões”.

Citado no comunicado, o presidente executivo da Toyota Motor Europe, Johan van Zyl, afirma que o fornecimento dos sistemas de pilha de combustível à CaetanoBus “demonstra os muitos usos práticos e benefícios ambientais do hidrogénio para uma sociedade livre de carbono”.

“Estamos realmente animados com a perspetiva de ver os primeiros autocarros do nosso parceiro de longa data nas estradas europeias”, refere, explicando que “os autocarros a hidrogénio têm vantagens significativas em comparação com outros veículos de emissão zero, nomeadamente uma autonomia superior e um tempo de reabastecimento reduzido”, o que lhes permite “operar em rotas mais longas”, com “uma maior utilização”.

O presidente da Salvador Caetano Indústria, José Ramos, comentou, por sua vez, estar “muito orgulhoso” pelo facto de a empresa ser “a primeira na Europa a beneficiar da tecnologia líder de pilha de combustível da Toyota”, assegurando ser objetivo da companhia “demonstrar as capacidades de excelência” que detém no desenvolvimento e fabrico de autocarros. “Acreditamos que o hidrogénio é uma ótima solução para os autocarros com zero emissões”, considerou José Ramos.

O lançamento oficial do denominado Projeto “Fuel Cell Bus” aconteceu esta quarta-feira, em Lisboa, na sequência da passagem pela cidade do Energy Observer, a primeira embarcação em todo o mundo movida a hidrogénio de forma autónoma, sem emissões de gases.

O desenvolvimento deste projeto representa a extensão à CaetanoBus da já longa relação entre a japonesa Toyota e a portuguesa Salvador Caetano, que produz veículos Toyota desde 1971 e é o representante exclusivo da marca em Portugal.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Trabalho

Teletrabalho é modernidade laboral

Fabiano Zavanella
216

Defendemos que a tecnologia, aliada ao teletrabalho, é uma contribuição enorme para o problema da mobilidade urbana, principalmente nos grandes centros, e uma das soluções para minorar o desemprego.

Inovação

Os Pilares da Digitalização

João Epifânio

Pilar fundamental para o desenvolvimento da economia digital é a capacidade de incluir todos os cidadãos e empresas garantindo condições de igualdade de acesso à informação e a redução da infoexclusão

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)