O presidente do PSD, Rui Rio, considerou esta quarta-feira que a proposta de Orçamento do Estado para 2019 (OE2019) apresentada pelo Governo é eleitoralista e enganadora, mas escusou-se a adiantar o sentido de voto dos deputados sociais-democratas.

“Este orçamento, ainda não tive oportunidade de o ver com todo o detalhe (…), mas o principal já se consegue ver: este é um orçamento que não aposta no futuro, aposta no presente, e em 2019 apostar no presente significa apostar nas eleições. E, portanto, todas as folgas que há é para distribuir, e isto tem uma marca ideológica, do PS, e particularmente do Bloco de Esquerda e do PCP”, declarou Rio.

O líder do PSD falava aos jornalistas em Bruxelas à margem de uma reunião do Partido Popular Europeu (PPE).

Rui Rio reagiu esta quarta-feira pela primeira vez à proposta de OE2019 apresentada na segunda-feira, perto da meia-noite, pelo Governo de António Costa, tendo considerado que há “um bodo aos eleitores”, mas também “há uma mistura de medidas que não são com o Governo está a dizer, que pretende enganar os eleitores”.

Rio escusou-se a revelar se o PSD votará contra este orçamento na votação na Assembleia da República, apontando que essa será uma decisão a ser tomada pelo partido em sede da comissão política nacional, que se reunirá na próxima semana, mas observou que “este orçamento vai na linha dos outros, para pior um bocado”.