Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os três detidos que fugiram do Tribunal de Instrução Criminal do Porto através de uma janela esta quinta-feira já foram apanhados pela Polícia de Segurança Pública (PSP), avançou o Jornal de Notícias. Estavam num parque de campismo. Segundo o Público, a mulher que ajudou os homens a fugir, namorada de um dos fugitivos, foi a mesma que informou a polícia dos paradeiro dos três.

[No Facebook, na página do Sindicato Unificado da Polícia de Segurança Pública, foi feita feita a publicação abaixo depois da captura]

https://www.facebook.com/178802868837266/photos/a.700544729996408/2087441167973417/?type=3&theater

A mulher está grávida e terá sido o medo de o namorado ser atingido a tiro na busca que a fez avisar a polícia para não perder os pais do filho. Em conferência de imprensa, a PSP afirmou que os fugitivos tinham 40 mil euros em notas de 500 euros quando foram encontrados e estavam a preparar-se para fugir de Portugal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os irmãos gémeos Manuel e Fernando Santos e um terceiro homem, “Shevchenko”, foram presentes em tribunal por suspeitas de furto a residências de idosos e foi-lhes decretada prisão preventiva. Fugiram quando estavam a ser levados para as celas do tribunal. Mas, graças a informações dadas por populares às autoridades, a polícia encontrou-os no Parque de Campismo de Medas, em Gondomar, noticia o JN.

Os três homem, os gémeos com 34 anos e o terceiro homem com 20 anos, aproveitaram para fugir no momento em que a polícia os encaminhava para as celas do Tribunal de Instrução Criminal, onde havia uma carrinha que os levaria até ao estabelecimento prisional de Custóias. Os detidos conseguiram acesso às chaves da cela e fugiram do edifício descendo por uma janela no segundo andar do prédio.

A PSP abriu de imediato uma operação de busca pela cidade do Porto e dizia que os três homem eram “perigosos” e podiam estar armados.

Nessas operações participaram não só a PSP, mas também as outras Forças e Serviços de Segurança (FSS), Centros de Cooperação e Policial e Aduaneira (CCPA) e o Sistema de Segurança Interna (SSI). Mas foi através das pistas dadas pela população portuense que as autoridades descobriram o paradeiro dos homens: a PSP já tinha pedido que “informações úteis com vista à localização e captura dos fugitivos” fossem comunicadas à Divisão de Investigação Criminal da PSP do Porto.