O Tribunal da Relação de Lisboa indeferiu uma providência cautelar do ex-presidente Bruno de Carvalho, que pretendia anular as eleições, disse esta segunda-feira à Lusa fonte ligada ao processo.

O ex-presidente do clube pretendia anular a Assembleia Geral Eleitoral de 8 de setembro, na qual foi eleito Frederico Varandas. Bruno de Carvalho, na altura suspenso de sócio pela Comissão Fiscalização provisória, defendia que a sua candidatura não poderia ter sido impedida de se apresentar ao ato eleitoral.

A providência cautelar apresentada pelo ex-líder dos leões também defendia que a lista de Frederico Varandas tinha magistrados, o que poderia indiciar conflitos de interesses, acrescentou a mesma fonte.