Rádio Observador

Mitsubishi

Engelberg Tourer. O novo Mitsubishi Outlander?

Para se enturmar com os locais, a Mitsubushi exibe no salão suíço o protótipo Engelberg Tourer. Na essência, é um provável substituto do Outlander, também híbrido plug-in e capaz de alimentar a casa.

Engelberg é uma comuna suíça onde se podem encontrar algumas das mais paradisíacas estâncias de ski do país. Para se sentir em casa, a japonesa Mitsubishi baptizou de Engelberg Tourer um protótipo que apresentou no certame helvético, que tem tudo para ser o substituto do actual Outlander, apesar da marca se ter recusado a aceitar a ligação.

Esteticamente, o protótipo visa testar a reacção do público a um design mais ousado para um potencial substituto do PHEV (plug-in hybrid) mais vendido do mercado europeu, o Outlander PHEV. Mais curto – mas nada impede que surja uma versão mais generosa na distância entre eixos e, por tabela, no comprimento total –, o Engelberg Tourer estreia uma nova linguagem estilística, mais moderna e plena de personalidade.

Além da estética, a marca japonesa da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi estreia a nova geração de motorizações PHEV, com um 2,4 litros a gasolina devidamente apoiado por dois motores eléctricos, um deles destinado a garantir a tracção às quatro rodas e a locomoção em modo 100% eléctrico. De caminho, a Mitsubishi garante igualmente que o SUV em causa é capaz de assegurar um controlo de estabilidade que inclui o controlo do Active Yaw Control, ou seja, a rotação, numa tentativa que, mesmo nas condições mais escorregadias e perigosas, não comece aos piões.

Com uma capacidade de circular em modo eléctrico 70 km, valor que aumenta para 698 km com recurso ao depósito que alimenta o motor a gasolina, o Engelberg Tourer alimenta os motores eléctricos através de uma bateria, que deverá ser maior do que a actual (com uma capacidade de 13,8 kWh).

Paralelamente, a marca nipónica apresentou o Dendo Drive House, um sistema que parece ter sido decalcado da Nissan – vantagens de integrar um grupo como a Aliança –, uma solução inteligente e em breve obrigatória (esperamos nós) para integrar os veículos eléctricos e lidar com o previsível incremento dos preços da energia, para satisfazer as necessidades da casa.

Num futuro próximo, os carros vão ser cada vez mais eléctricos e a electricidade vai ser cada vez mais cara. Antecipando estas duas realidades, que seriamente ninguém disputa, há que lidar com a situação. A melhor solução – hoje – passa por montar nas casas (mais fácil) e prédios um sistema de geração de energia através de células fotovoltaicas, que permitam durante o dia produzir energia e armazená-la numa bateria estacionária. Como a Tesla já propõe há muito tempo, a Nissan há menos e a Mitsubishi agora.

O objectivo é a habitação recorrer à energia assim gerada para satisfazer as necessidades residenciais, para depois se alimentar da rede nacional durante o período da noite, quando a electricidade é mais barata por ser excedentária.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)