Sistema Integrado de Gestão de Pneus Usados. É este o significado de SGPU, o sistema desenvolvido pela Valorpneu que, ao beneficiar o ambiente, faz bem ao planeta em que vivemos, à nossa saúde e, obviamente, à vida de cada um de nós. Noutras palavras, o SGPU valoriza os pneus que já não servem para os nossos carros evitando que poluam o planeta, desgastem as árvores e sejam, no limite, um resíduo poluente do meio ambiente. Vale a pena perceber como.

Aprenda a fazer bom ambiente

Mostrar Esconder

Já sabe: Pneus velhos não devem ser deitados fora e podem ser reciclados de várias maneiras. Se tem jeito de mãos e dá valor ao ambiente, experimente pôr o seu bom ambiente em prática:

  • Mesa de apoio: Cole dois pneus um sobre o outro, decore com pintura, forre com tecido ou invente uma decoração com o que tiver à mão: enrole em corda, cubra com conchas e contas, use qualquer material desde que tenha alguma durabilidade. Agora só falta o tampo: de madeira, vidro, acrílico, cortiça… ninguém terá uma mesinha como a sua!
  • Banco: use o mesmo processo e forre a parte de cima com dracalon e um tecido resistente.
  • Pousa pés: lave bem o pneu e esfregue com álcool para eliminar toda a gordura. Tape a parte de cima com uma rodela de mdf ou contraplacado, à venda em qualquer loja de bricolage. Com cola de borracha, trapilho ou sisal cubra a toda a volta. À medida que vai colocando o material, cole com cola de sapateiro e pressione. Trabalhe sem pressa para conseguir que fique sem defeitos. Deixe secar e descanse melhor sempre que chegar a casa.
  • Uma cama para o seu cão: é ainda mais simples e basta um pneu. Pinte-o, coloque uma almofada por dentro e já está! Claro que se tiver um Grand Danois esta solução pode não ser a melhor mas é perfeita para qualquer cão de tamanho pequeno a médio. Também serve para gatos, basta usar uma almofada mais rija.
  • A reciclagem vale para qualquer pneu. Os de bicicleta, pintados na sua cor preferida, podem ser transformados em molduras para espelhos ou fotografias. Se tiver um grande, daqueles usados em tratores, pinte-o, faça um fundo em madeira e encha-o com areia. Vai ser a delícia dos mais pequeninos.

Um sistema de valorização

O Sistema Integrado de Gestão de Pneus Usados, SGPU está em prática desde 2003 em Portugal e foi desenvolvido em 2002 pela Valorpneu. Esta empresa sem fins lucrativos foi constituída por um grupo de fabricantes e industriais de recauchutagem de pneus e da indústria da borracha e engloba uma quantidade significativa de agentes económicos, entidades institucionais e operadores diversos, além de fluxos materiais, financeiros e de informação.

É um sistema complexo mas, ao mesmo tempo, muito fácil de entender:

  • Cada pneu que entra no mercado nacional paga o Ecovalor à Valorpneu. A partir daí, a única despesa que os vários agentes têm de suportar é o transporte dos pneus usados até aos centros de  receção. Com o Ecovalor, a Valorpneu financia todo o processo de valorização.
  • Os pneus em fim de vida são entregues pelas oficinas, estações de serviço, lojas especializadas, empresas de recauchutagem, etc. em qualquer ponto da Rede de Centros de Receção da Valorpneu espalhados pelo país.
  • Nos Centros de Receção todos os pneus são controlados e quantificados e depois encaminhados maioritariamente para as empresas de reciclagem ou de valorização energética.
  • Estas fecham o ciclo do SGPU: os pneus são processados em granulado de borracha e seguem para o destino de reciclagem adequado: transformação em diversos produtos ou utilização como fonte de energia.
  • Toda a informação inerente ao SGPU é gerida on-line pela Valorpneu através de um sofisticado sistema informático que assegura a interação de todos os intervenientes.

Este granulado que pisamos…

Para o tratamento dos pneus, a Valorpneu conta com uma rede de parceiros constituída sobretudo por operadores de reciclagem e de valorização energética. Em menor escala, esta rede integra também operadores que utilizam os pneus usados em obras de construção civil ou molhes marítimos, entre outros fins.

A reciclagem dos pneus começa pela separação dos seus componentes: todo o metal e têxtil é retirado e a borracha é transformada em granulado. Daqui podem resultar produtos como, por exemplo, pavimentos para parques infantis e recreios escolares ou enchimento para campos de futebol sintéticos. Com certeza já tem visto este tipo de pavimento. É que graças às suas vantagens e durabilidade, a sua aceitação pelo mercado tem sido enorme.

Quer melhor? Pois saiba que, a cada dez anos, a borracha reaproveitada pela reciclagem de pneus usados evitou a sua extração em 4.000.000 de seringueiras, ou árvores da borracha, como são mais conhecidas entre nós.

Uma energia que até poupa recursos naturais

Talvez uma grande vantagem ambiental da valorização de pneus seja a energia que geram. Inteiros ou fragmentados, são usados pelos operadores de valorização energética como combustível alternativo para produção de energia. O seu poder calorífico é considerado excelente mas prepare-se para o melhor: constituem uma energia eficaz, barata e renovável que evita o consumo de combustíveis naturais não renováveis, reduz as emissões obtidas pela combustão da biomassa constituinte do pneu.

A Valorpneu opera hoje em seis instalações de valorização energética: as fábricas de cimento do Grupo Secil (Maceira, Pataias e Outão) e do Grupo Cimpor (Alhandra e Loulé) e ainda a instalação de cogeração da Recauchutagem Nortenha (Penafiel). Ganha o planeta, ganha Portugal e, claro, ganhamos todos nós.

O que podemos fazer

Apostamos que, a partir de agora, vai querer saber se o seu fornecedor entrega os pneus velhos para reciclagem. A não ser que prefira fazer uma reciclagem “à sua moda”, aproveitando os seus pneus velhos para outros fins. Veja as nossas sugestões na caixa deste artigo.