Rádio Observador

Futebol

Benfica consegue reviravolta em Braga e faz história no feminino com apuramento para final da Taça

333

Entrada diabólica com três golos nos primeiros nove minutos permitiu ao Benfica virar a eliminatória em Braga e garantir apuramento para a final da Taça de Portugal feminina logo no ano de estreia.

Encarnadas fizeram a festa esta manhã em Braga num estádio 1.º de Maio muito bem composto este sábado

Paulo Jorge Magalhães

Três minutos para reacender a esperança, cinco minutos para conseguir a reviravolta, nove minutos para alcançar aquilo que nunca ninguém conseguira no tempo regulamentar: num estádio 1.º de Maio bem composto para a segunda mão da meia-final da Taça de Portugal de futebol feminino, o Benfica foi a Braga alcançar uma histórica passagem ao jogo decisivo na competição logo na temporada de estreia da modalidade e quando milita ainda na 2.ª Divisão nacional.

Depois da derrota por 2-1 na Tapadinha na primeira mão, as comandadas de João Marques (curiosamente, o antigo treinador do Sp. Braga) tiveram uma entrada diabólica com três golos brasileiros em menos de dez minutos: logo aos três minutos, Geyse, internacional brasileira contratada ao Madrid CFF, concluiu da melhor forma uma transição iniciada por Darlene e apontou o 45.º golo da temporada; dois minutos depois, a mesma Darlene aumentou a vantagem com um grande chapéu perante a saída de Rute Costa, naquele que foi o 98.º golo da época; aos 9′, Yasmim fez o 3-0 com um fantástico livre direto ao ângulo.

Desde 2016, ano de estreia na competição, apenas por uma vez o Sp. Braga, atual vice-campeão nacional e líder do Campeonato, tinha consentido três golos e com prolongamento pelo meio, na Supertaça de 2017 frente ao Sporting (3-1); agora, em menos de dez minutos, sofrera esse número de golos noutras tantas tentativas das águias. E nem mesmo com a entrada de Laura Luís em campo pouco depois do primeiro quarto de hora as minhotas conseguiram no primeiro tempo um golo que permitisse uma viragem no rumo dos acontecimentos nesta segunda mão da meia-final da Taça.

A avançada ainda marcou na segunda parte mas o golo acabou por ser invalidado e foi mesmo o Benfica a aumentar a vantagem no marcador para 4-0 por Evy Pereira, cabo-verdiana que estava no ano passado no Valadares e surgiu isolada frente a Rute Costa após mais um grande passe de Darlene (62′). Laura Luís, aproveitando um enorme erro da guarda-redes Dani Neuhaus (65′), e Vanessa Marques, de cabeça (67′), ainda reduziram mas as encarnadas conseguiram segurar o triunfo e a eliminatória.

A outra meia-final será disputada entre Clube Albergaria e Valadares esta tarde, com a equipa de Gaia a ter uma vantagem pela margem mínima depois do triunfo conseguido na primeira mão (1-0).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt
António Costa

O favor que Costa fez à direita /premium

Sebastião Bugalho

Nestes quatro anos, Costa normalizou tudo aquilo que a direita se esforçou por conquistar, o que levanta uma questão simples: o que poderá dizer o PS contra um futuro governo do centro-direita?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)