A utilização de jogos online como um instrumento de gestão de recursos humanos foi um dos temas do Gamify Europe’19 | Made of Outliers que reuniu esta quinta-feira em Lisboa, no Lispolis, várias dezenas de quadros ligados à economia digital vindos de vários pontos do mundo, do Brasil ao Médio Oriente, e que contou com a presença do secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias.

“Não podemos continuar a olhar para eventos como a WebSummit como eventos únicos, precisamos sim de construir em torno da imagem de Portugal a ideia de que somos um país ideal para acolher novos projectos e que está na liderança da modernidade”, sublinhou aquele membro do Governo. Numa evocação de João Vasconcelos, recentemente desaparecido, recordou que ele costumava dizer que “preferia feito a perfeito”, pelo que considerava importante que se continuasse a fazer novos eventos, a testar novas ideias, mesmo sabendo que “quando erramos temos de nos levantar outra vez para continuar”.

A gamificação – o tema que esteve em debate – é uma ferramenta típica da economia digital que utiliza os jogos como forma de equilibrar competição e colaboração, recompensar a autonomia de escolha, o crescimento em equipa, pois nos jogos desenvolvem-se competências de relação com o próximo, de sentido de propósito, de procura da mestria e ainda de autonomia.