Depois de um dia de folga concedido por Fernando Santos e já com todo o grupo à disposição, a Seleção Nacional concentrou-se na noite deste domingo numa unidade hoteleira de Espinho para preparar o jogo com a Suíça, na próxima quarta-feira, a contar para a final four da Liga das Nações. Os jogadores portugueses foram chegando a conta-gotas e de várias formas: alguns sozinhos, como Dyego Sousa, outros de boleia com colegas, como Rafa e Pizzi, outros de Uber, como foi o caso de João Moutinho, e depois João Félix, que chegou ao hotel acompanhado pelos pais.

O jogador do Benfica foi insultado e assobiado na chegada à unidade hoteleira: “Lampião de m…, volta para Lisboa”, ouviu-se à entrada do hotel, onde algumas pessoas que esperavam os carros dos elementos da Seleção Nacional ainda bateram no tejadilho do veículo conduzido pelo pai de João Félix. Depois de passarem pela zona mais congestionada, uma criança que corria atrás do carro — provavelmente para pedir um autógrafo — acabou por cair, o que fez com que o jovem de 19 anos pedisse ao pai para parar o carro. Em seguida, um dos adeptos que esperava a seleção portuguesa dirigiu-se à janela do veículo e disse “vão-se embora”, conselho acatado pelo pai de Félix de imediato.

O jogador de 19 anos chegou à unidade hoteleira de Espinho acompanhado pelos pais

O episódio foi comentado já esta segunda-feira de manhã por Pepe, na habitual conferência de imprensa onde comparece sempre um jogador português. O central do FC Porto desvalorizou os acontecimentos e garantiu que o ambiente à volta da Seleção está “espetacular”. “Quando cheguei aqui à Seleção, notava-se um pouco o que era o norte e o sul. No nosso grupo de trabalho não há isso. Defendemos o país. Tenho a certeza de que quarta-feira todos os adeptos vão apoiar a Seleção, incentivar. Esse apoio é muito importante para nós jogadores. E sentimos que somos bem recebidos de norte a sul. E mesmo quando não conseguimos vencer, porque acontece, fica o agradecimento às pessoas que sempre nos apoiam”, afirmou Pepe, que é internacional português desde 2007, há 12 anos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Já João Paulo Rebelo, o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, foi mais crítico da atitude dos adeptos para com João Félix e considerou que se tratou de um “comportamento imbecil”. “O comportamento imbecil de um, dois ou meia dúzia de indivíduos não representa o apoio absolutamente hegemónico que o país dá aos nossos jogadores, sobretudo quando estão a vestir a camisola da Seleção. Disso não tenho dúvidas”, atirou o governante, à margem de um evento organizado pela Rádio Renascença.

O momento menos bonito à volta de João Félix surge um dia antes de o Record garantir que o Real Madrid vai tentar chegar ao médio do Benfica através da transferência de Keylor Navas para os encarnados. Em Espanha, o As acrescenta que o Manchester United, o Manchester City e o Atl. Madrid são os outros principais interessados no jovem jogador português, com Diego Simeone a olhar para João Félix como o substituto ideal para Griezmann, que vai sair este verão.