Durante os anos 90, Jeffrey Epstein ter-se-à feito passar por recrutador da Victoria’s Secrets e terá tentado violar uma modelo de 27 anos, afirma o New York Times. O multimilionário, que foi recentemente acusado de abuso e tráfico sexual, era conselheiro pessoal e amigo próximo do líder da marca, Leslie H. Wexner. Na altura, Wexner foi alertado para o comportamento de Jeffrey Epstein, mas recentemente afirmou ao New York Times que “nunca” teve conhecimento “das atividades ilegais de que (Epstein) é acusado”.

Nunca poderia ter adivinhado que uma pessoa que trabalhou para mim há mais de uma década possa ter causado tanta dor a tantas pessoas”, respondeu Wexner ao jornal norte-americano.

Os dois conheceram-se nos anos 80 e tornaram-se bastante próximos em pouco tempo. Na altura, Epstein tinha desistido da faculdade e foi professor de matemática durante um curto período de tempo. Segundo o jornal norte-americano dizia às pessoas que era perito em impostos e detetive de fraudes com um dom para investir estrategicamente. Não parecia ter o perfil para aconselhar um magnata como Leslie Wexner. Mas o líder da marca de lingerie deu ao jovem empresário a gestão das suas finanças, filantropia e vida pessoal. Epstein tinha como função atuar como conselheiro financeiro e pessoal, assinar documentos, contratar trabalhadores ou fazer aquisições. Depressa se tornou o multimilionário que é hoje e, na altura, comprou uma mansão em Nova Iorque, um avião e uma propriedade de luxo no Ohio — tudo bens que pertenciam a Leslie Wexner.

A ligação entre os dois terminou há cerca de 12 anos. Mas, até hoje, continua por esclarecer a razão pela qual o magnata da Victoria’s Secrets confiou num jovem empresário com pouca experiência na área das finanças. “Tudo isto tem sido um verdadeiro mistério para mim”, comentou Pete Halliday, que foi colega de turma de Wexner e o ajudou a angariar dinheiro no início da empresa. E o mistério voltou a lume numa altura em que Epstein aguarda julgamento por novas acusações de abuso e tráfico sexual de menores.

Os abusos parecem remontar aos anos 90. Na altura, Epstein terá agredido uma mulher que trabalhava na mansão de Leslie Wexner, no Ohio. Uns meses mais tarde, uma modelo visitou o quarto de hotel do empresário, pensando que ia discutir a sua presença no catálogo da marca de lingerie. “As mãos dele eram as suas armas”, relatou ao New York Times a mulher, que na altura tinha 27 anos. A modelo apresentou queixa na polícia do ataque sexual. Esse relatório tornou-se um dos primeiros conhecidos dos alegados abusos sexuais de Epstein.

Jeffrey Epstein foi recentemente preso no dia 6 de julho depois de ser acusado de abuso e tráfico sexual de menores. Já tinha enfrentado as mesmas acusações em 2008. Na altura, declarou-se culpado mas um acordo com o então procurador da Flórida livrou-o de pena de prisão perpétua. Na quarta-feira, foi encontrado no chão, quase inconsciente, com marcas no pescoço e em “posição fetal” por um guarda na prisão de Nova Iorque.