Em novembro de 1992, o empresário Donald Trump deu uma festa na sua casa em Mar-a-Lago, Florida, e convidou a NBC para filmar o evento. Mais de 20 anos depois, o canal de televisão voltou a exibir as imagens onde é possível ver o atual Presidente norte-americano a dançar alegremente com as cheerleaders da equipa de futebol-americano Buffalo Bills e a conversar e rir com Jeffrey Epstein, que este mês foi detido por tráfico sexual.

A festa foi filmada, na altura, para o talk show “A CloserLook” depois de o atual chefe da Casa Branca ter beijado uma jornalista à frente de vários fotógrafos enquanto o marido da mulher estava de costas. Neste vídeo, Trump e Epstein aparecem divertidos, a rir e a comentar as mulheres presentes na festa. Donald Trump, o anfitrião, que se tinha divorciado recentemente da sua primeira mulher, Ivana Trump, surge a dançar e a beijar uma das mulheres.

Vinte e seis anos depois de estas imagens terem sido gravadas a NBC decidiu divulgá-las agora quando Trump se tentou distanciar de Epstein, detido a 6 de julho sob novas acusações de tráfico sexual. O multimilionário já se tinha declarado culpado de prostituir menores, tendo cumprido 13 meses de prisão e registado como agressor sexual em 2008. Está agora a aguardar julgamento.

Trump já repetiu várias vezes que “não é fã” de Epstein e tem negado a relação com o empresário. “Eu conhecia-o como qualquer pessoa de Palm Beach (naquela altura). Ele era uma figura em Palm Beach”, explicou o Presidente norte-americano na semana passada acrescentando que teve um desentendimento com o milionário e que não fala com ele “há 15 anos”. 

Agora, o vídeo que a NBC recuperou dos seus arquivos não mereceu qualquer comentário nem da Casa Branca nem do advogado de Jeffrey Epstein.