Rádio Observador

Assédio Sexual

Plácido Domingo acusado de assédio sexual por nove mulheres

605

Nove mulheres dizem ter sido assediadas por Plácido Domingo na altura em que tentavam lançar as suas carreiras na ópera. O cantor diz que relatos são "imprecisos", mas admite que as "regras" mudaram.

Plácido Domingo, de 78 anos, é um dos cantores de ópera mais consagrados do mundo

ZSOLT SZIGETVARY/EPA

O cantor de ópera Plácido Domingo está a ser acusado de assédio sexual por nove mulheres, relatando à Associated Press episódios que recuam até aos anos 1980 e chegam até 2002. A estas, juntam-se ainda seis mulheres que se queixam de que Plácido Domingo as deixou “desconfortáveis” com os seus avanços sexuais.

As acusações partem de oito cantoras — das quais apenas uma, Patricia Wulf, permitiu a publicação do seu nome — e de uma bailarina, que trabalharam com Plácido Domingo desde o início da década de 1980 e 2002.

“Um almoço de trabalho não é estranho”, disse uma daquelas mulheres, uma cantora. “Alguém estar a tentar a segurar-te a mão durante um almoço de trabalho é estranho — e pôr a mão no teu joelho é um pouco estranho. Ele estava sempre a tocar-me de qualquer maneira, sempre aos beijos.”

Em resposta à investigação da Associated Press, Plácido Domingo emitiu um comunicado negou os relatos feitos por aquelas mulheres, apontando par imprecisões nas histórias que agora surgem: “As alegações destas pessoas anónimas, que remontam a mais de 30 anos para trás, são perturbantes e, da maneira como foram apresentadas, imprecisas”.

Ainda assim, Plácido Domingo acrescentou que é “doloroso ouvir” que “perturbou” ou deixou “desconfortáveis” aquelas mulheres, apesar das suas “melhores intenções”. “No entanto, reconheço que as regras e padrões que hoje temos — e devemos ter — em conta são muito diferentes do que eram no passado. Tive a bênção e o privilégio de ter uma carreira com mais de 50 anos em ópera e vou obrigar-me aos mais altos padrões”, disse o cantor, conhecido também por fazer parte dos Três Tenores, dos quais também faziam parte José Carreras e Luciano Pavarotti.

Plácido Domingo prometia papéis e depois avançava

De acordo com o que disseram à Associated Press, duas das mulheres acabaram por ceder aos avanços sexuais de Plácido Domingo, alegando que, por este ser à altura superior hierárquico, o fizeram para não prejudicarem as suas carreiras. Apesar de Plácido Domingo chegar a prometer-lhes a atribuição de papéis de destaque nas óperas por ele dirigidas — mas, no final de contas, muitas vezes isso nunca chegava a ser concretizado. Pelo contrário, Plácido Domingo acabava por não voltar a contratá-las.

As descrições das mulheres que falaram à Associated Press denunciam o ascendente que Plácido Domingo teria sobre cada uma delas, geralmente jovens cantoras em início de carreira. De acordo com os relatos, era frequente Plácido Domingo perseguir as mulheres das quais queria aproximar-se, esperando à porta dos seus camarins, pedindo-lhes boleias para casa e convidando-as para ensaiarem árias das óperas que o cantor espanhol dirigia. Os avanços não paravam, apesar de as mulheres recuarem perante os avanços de Plácido Domingo, para o qual começavam por olhar como “um Deus” ou “um herói” e acabavam depois por ver como um patrão que podia despedi-las caso lhe dissessem “não” de forma inequívoca.

Uma das mulheres, conta como Plácido Domingo se servia do facto de dirigir uma ópera onde ela participava para conseguir momentos a sós. O cantor espanhol conhecia os códigos de entrada os camarins, acabando por ficar a vê-la trocar de roupa. Nos ensaios de uma peça que incluía uma cena que representava uma orgia, Plácido Domingo beijou-a na boca de forma ostensiva, sussurando-lhe ao ouvido “quem me dera que não estivéssemos em palco”.

Esta mesma mulher conta como, depois de três anos de assédio do tenor, que lhe ligava para casa constantemente, por vezes “até às 3h30 da manhã”, acabou por ir para a cama com Plácido Domingo. Tiveram relações duas vezes, no final das quais ele lhe deixava 10 dólares na mesa de cabeceira. “Não quero que te sintas como um prostituta, mas também não quero que tenhas de pagar o parque de estacionamento”, ter-lhe-á dito o cantor espanhol.

A postura que agora estas mulheres atribuem a Plácido Domingo era um segredo mal guardado naquele meio profissional. “Existe uma tradição oral de se avisar as mulheres do Plácido Domingo”, disse uma cantora, que não faz parte do leque das que acusam o cantor. “Evitem interagir com ele a todo o custo. E de maneira alguma fiquem sozinhas com ele.”

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jadias@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)