Rádio Observador

Emmanuel Macron

Macron partilha foto errada do incêndio na Amazónia e Bolsonaro acusa-o de “sensacionalismo” e “instrumentalização”

1.253

Macron partilhou uma foto de uma floresta a arder, apelando à discussão da situação na próxima reunião do G7. Mas a foto é antiga e o Presidente brasileiro criticou o "tom sensacionalista" do francês.

Macron acusou o Presidente brasileiro de mentir em matéria de compromissos ambientais

As chamas lavram sem parar há duas semanas na Amazónia e a gravidade da situação transformou, nos últimos dias, as redes sociais em palco de críticas, desabafos, alertas e apelos. Mas nem todas as imagens que estão a circular são atuais ou mostram, sequer, a Amazónia. Um dos casos mais flagrantes é o de Emmanuel Macron, que partilhou uma imagem de um fotógrafo que morreu em 2003.

“A nossa casa está a arder. Literalmente. A floresta amazónica, o pulmão que produz 20% do oxigénio do nosso planeta, está em chamas. É uma crise internacional”, lê-se na publicação partilhada no Twitter pessoal do Presidente francês. A foto é de Loren McIntyre, da National Geographic.

Foi um erro de Macron que não passou despercebido a Jair Bolsonaro. O Presidente brasileiro acusou mesmo o seu homólogo de “instrumentalizar” a situação para proveito próprio. E, para Bolsonaro, a mensagem do chefe de Estado francês foi acompanhada de um “tom sensacionalista” que “não contribui em nada para a solução do problema”.

Entretanto, Macron respondeu a Bolsonaro e acusa o Presidente brasileiro de mentir em matéria de compromissos ambientais e anunciou que, nestas condições, França vai votar contra o acordo de comércio livre UE-Mercosul.

Tendo em conta a atitude do Brasil nas últimas semanas, o Presidente da República não pode se não constatar que o Presidente Bolsonaro lhe mentiu na Cimeira de Osaka”, afirmou a presidência francesa, referindo-se à Cimeira do G20 que se realizou no final de junho.

“O Presidente Bolsonaro decidiu não respeitar os compromissos ambientais e não se empenhar em matéria de biodiversidade. Nestas condições, França opõe-se ao acordo com o Mercosul tal como está”, acrescentou.

O acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercado Comum do Sul (Mercosul), integrado pelo Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, foi fechado a 28 de junho, depois de 20 anos de negociações. O pacto abrange um universo de 740 milhões de consumidores, que representam um quarto da riqueza mundial. A Irlanda também já ameaçou votar contra o acordo comercial se o Brasil não tomar medidas para proteger a floresta amazónica.

Mas Emmanuel Macron está longe de ter sido o único a cair no erro de partilhar a imagem errada. O ator Leonardo DiCaprio também partilhou esta foto. A modelo Gisele Bündchen fez o mesmo.

De partidos políticos portugueses a celebridades como a cantora Madonna, o rapper Jaden Smith, o youtuber Logan Paul e até mesmo Cristiano Ronaldo, foram muitos os que divulgaram nas redes sociais fotos antigas ou de outros locais do mundo.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcasanova@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)