As chamas lavram sem parar há duas semanas na Amazónia e a gravidade da situação transformou, nos últimos dias, as redes sociais em palco de críticas, desabafos, alertas e apelos. Mas nem todas as imagens que estão a circular são atuais ou mostram, sequer, a Amazónia. Um dos casos mais flagrantes é o de Emmanuel Macron, que partilhou uma imagem de um fotógrafo que morreu em 2003.

“A nossa casa está a arder. Literalmente. A floresta amazónica, o pulmão que produz 20% do oxigénio do nosso planeta, está em chamas. É uma crise internacional”, lê-se na publicação partilhada no Twitter pessoal do Presidente francês. A foto é de Loren McIntyre, da National Geographic.

Foi um erro de Macron que não passou despercebido a Jair Bolsonaro. O Presidente brasileiro acusou mesmo o seu homólogo de “instrumentalizar” a situação para proveito próprio. E, para Bolsonaro, a mensagem do chefe de Estado francês foi acompanhada de um “tom sensacionalista” que “não contribui em nada para a solução do problema”.

Entretanto, Macron respondeu a Bolsonaro e acusa o Presidente brasileiro de mentir em matéria de compromissos ambientais e anunciou que, nestas condições, França vai votar contra o acordo de comércio livre UE-Mercosul.

Tendo em conta a atitude do Brasil nas últimas semanas, o Presidente da República não pode se não constatar que o Presidente Bolsonaro lhe mentiu na Cimeira de Osaka”, afirmou a presidência francesa, referindo-se à Cimeira do G20 que se realizou no final de junho.

“O Presidente Bolsonaro decidiu não respeitar os compromissos ambientais e não se empenhar em matéria de biodiversidade. Nestas condições, França opõe-se ao acordo com o Mercosul tal como está”, acrescentou.

O acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercado Comum do Sul (Mercosul), integrado pelo Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, foi fechado a 28 de junho, depois de 20 anos de negociações. O pacto abrange um universo de 740 milhões de consumidores, que representam um quarto da riqueza mundial. A Irlanda também já ameaçou votar contra o acordo comercial se o Brasil não tomar medidas para proteger a floresta amazónica.

Mas Emmanuel Macron está longe de ter sido o único a cair no erro de partilhar a imagem errada. O ator Leonardo DiCaprio também partilhou esta foto. A modelo Gisele Bündchen fez o mesmo.

De partidos políticos portugueses a celebridades como a cantora Madonna, o rapper Jaden Smith, o youtuber Logan Paul e até mesmo Cristiano Ronaldo, foram muitos os que divulgaram nas redes sociais fotos antigas ou de outros locais do mundo.