O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) foi obrigado a suspender de imediato as operações no Heliporto de Santa Comba Dão, depois de a Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) ter indicado que este local apenas tem condições para “fins de proteção civil”, não podendo incluir as operações de emergência médica.

Em comunicado, o Instituto informou que recebeu esta terça-feira a informação de que teria de suspender a sua atividade neste heliporto. A decisão, acrescenta a nota enviada, foi comunicada pela Babcock, a empresa responsável pela gestão da operação e manutenção do serviço de helicópteros do INEM, depois de ter sido notificada pela ANAC de que “o Heliporto de Santa Comba Dão apenas reúne condições para ser detentor de uma autorização para fins de proteção civil, que não pode incluir as operações de emergência médica”.

Assim, à luz dos regulamentos em vigor, este heliporto não pode ser certificado como Base de Operações de Helicópteros de Emergência Médica”, acrescenta a nota.

O helicóptero do INEM que se encontrava neste local foi transferido para o Aérodromo Municipal de Viseu, uma solução que, de acordo com o INEM, vai “permitir manter toda a operacionalidade desta aeronave, sem colocar em causa a capacidade de resposta na área de atuação do respetivo meio de emergência médica”.

No comunicado, o INEM remeteu ainda todos os “esclarecimentos sobre as questões técnicas relacionadas com as operações aeronáuticas e a certificação desta infraestrutura” para a Babcock ou a ANAC.