A NBA arrancou durante a madrugada desta terça para quarta-feira e os campeões Toronto Raptors recordaram o porquê de terem conquistado os anéis na temporada passada com uma vitória convincente perante os New Orleans Pelicans. Mas o prato forte das primeiras horas da época 2019/20 do melhor basquetebol do mundo estava em Los Angeles: num Staples Center dividido ao meio, os Clippers defrontaram os Lakers e deram corpo a uma das maiores rivalidades da liga.

Mais do que isso, as duas equipas que se encontraram são também das que maiores expectativas carregam para os próximos meses: os Clippers têm agora Kawhi Leonard nas fileiras, o elemento que guiou os Raptors até ao inédito título, e a lesão de Paul George vai sendo abafada por Patrick Beverley e pela profundidade do grupo orientado por Doc Rivers; do outro lado, Dwight Howard e Anthony Davis juntaram-se a LeBron James e os Lakers parecem finalmente voltar a ter um conjunto de jogadores que pode lutar pela conquista do título. Tudo isto, apesar de verdade, é teoria. Clippers e Lakers são ambos grandes destaques naquilo a que chama antevisão — mas podem perfeitamente não chegar a sê-lo na hora do rescaldo.

Na jornada inaugural da NBA, os Clippers acabaram por bater os Lakers por 10 pontos de diferença (112-102) num jogo onde foram globalmente melhores e mostraram ideias táticas e técnicas mais sólidas — e, muito provavelmente, mais perto daquilo que Doc Rivers está a preparar para a maratona de mais de 80 partidas da fase regular. Na estreia pela nova equipa, Kawhi Leonard foi o destaque dos Clippers e registou 30 pontos, ofuscando até LeBron James, que marcou 18 mas só acertou uma das cinco tentativas de triplo que realizou. Na ausência da inspiração de James, o reforço Anthony Davis terminou com 25 pontos e Danny Green, que também se estreou de amarelo, foi mesmo o melhor da equipa de Frank Vogel, com 28 pontos: tornando-se no melhor estreante da história da equipa e superando os 27 pontos do primeiro jogo de Kareem Abdul-Jabbar em 1975.

A boa exibição individual de Green, porém, não chegou para anular a vastidão de soluções de que os Clippers dispõem. Se no grupo dos Lakers, para lá de James, Davis e Green, poucos se destacam enquanto jogadores acima da média (Kuzma pode ser uma exceção mas está lesionado), a verdade é que 38 pontos e 11 assistências dos Clippers vieram do banco, com Lou Williams e Montrezl Harrell a serem alternativas coerentes ao cinco inicial. O regresso de Paul George, daqui a várias semanas, só vai estender a qualidade da equipa, principalmente no plano ofensivo, e alongar um plantel que já se mostra bem construído.

Se do lado dos Lakers a principal dificuldade para esta temporada vai ser a elevada responsabilidade do trio James, Davis e Green, aliada à inequívoca quebra de qualidade em relação aos colegas de equipa, do lado dos Clippers o pormenor mais complicado de gerir será o das expectativas. Em Los Angeles, vive-se um novo amanhecer e sente-se que chegou o tempo da outra franquia da cidade. E Kawhi Leonard quer que o seu tempo continue e o de LeBron James permaneça num plano alternativo. “Foi ótimo. Muitas emoções, foi o primeiro jogo. Estou feliz por termos saído com a vitória. Tivemos ótimos treinos e isso percebeu-se em campo”, disse o antigo jogador dos Raptors no final da partida.