Portugal é o segundo país com preços de comunicações eletrónicas mais baixos, depois da França, entre os dez países europeus analisados num estudo da Associação de Operadores de Comunicações Eletrónicas (Apritel), elaborado pela Deloitte, divulgado esta quarta-feira.

“Este estudo apresenta, pela primeira vez, uma comparação feita com base na oferta de serviços com maior predominância entre os consumidores portugueses (os pacotes 3P [oferta tripla de serviços] e 4P [oferta quádrupla]”, refere a Apritel.

O estudo, que considera a taxa de IVA e a atualização da paridade do poder de compra, refere que “os preços médios para os pacotes 3P (televisão, internet fixa e telefone) são 34% inferiores à média dos países da União Europeia analisados”, ou seja, 38,60 euros face ao valor médio de 58,05 euros.

No que respeita aos pacotes 4P (televisão, internet fixa, telefone e telemóvel), os preços “são 20% mais baixos”, ou seja, 59,94 euros em Portugal face ao valor médio de 75 euros, considerando a paridade do poder de compra.

“Para a comparação foram considerados 10 países europeus que mais se assemelham a Portugal em termos de qualidade e diversidade de oferta de serviços de comunicações eletrónicas”, refere a Apritel, apontando Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Estónia, França, Hungria, Irlanda, Países Baixos e Reino Unido.

“Com esta análise a Apritel vem responder à questão ‘quanto gastaria por mês um consumidor médio que, saindo de Portugal para um país da União Europeia, quisesse manter o nível de serviço?'”, refere a associação de empresas.

O setor das comunicações eletrónicas português representa 2,3% da riqueza gerada pela economia (PIB) e emprega cerca de 18.000 pessoas.