A startup portuguesa Keep Warranty anunciou esta quarta-feira que vai integrar apólices de seguros na sua app. Ao Observador, a cofundadora Romana Ibrahim explicou que a a nova versão da aplicação, a ser lançada em fevereiro, vai permitir aos utilizadores fazerem contratos com a seguradora europeia Simplesurance (marca que fornece seguros de marcas internacionais, como a Revolut) e acioná-las, quando precisarem.

A ideia é que a aplicação que começou por guardar garantias (de compras de telemóveis, eletrodomésticos, etc) digitalmente passe a ser intermediária da contratação de seguros. Numa primeira fase, a app vai ter seguros a gadgets (como telemóveis) e a extensão de garantias de eletrodomésticos. O objetivo passa por depois expandir as apólices para áreas do ramo vida e do ramo não vida e chegar a parcerias com outras seguradoras. Há, inclusive, uma portuguesa com quem a empresa já está a conversar.

“Quando vou comprar um telemóvel, tenho um orçamento definido e muitas vezes não quero contratar um seguro na hora. Aqui, a Keep Warranty trabalhou com a seguradora para que este seguro possa ser feito até seis meses após a compra do telemóvel”, explicou a presidente-executiva. “Logo de seguida, vamos passar pelos seguros de mobilidade, seguros de viagem, alguns associados também à parte da saúde. O objetivo é fazer tudo de uma forma super facilitada”, acrescenta.

romana ibrahim keep warranty

Romana Ibrahim foi eleita eleita “Founder of the Year 2018” pela comunidade Portuguese Women in Tech

A Keep Warranty foi fundada, em outubro de 2017, por Romana e Mahomed Ibrahim para resolver o problema das garantias perdidas através de uma app. Quando inserem a informação sobre uma garantia, os utilizadores recebem um alerta quando esta está prestes a expirar. Até à data, a startup conta com 450 mil euros investidos em capitais próprios.

A ideia nasceu de um problema com uma Playstation, que se estragou. Apesar de a terem comprado há pouco tempo, os irmãos Ibrahim não conseguiram que a loja solucionasse o problema, porque não tinham a fatura.

“No final, percebemos que não havia nada digital que resolvesse este problema e foi assim que nasceu a ideia da Keep Warranty. Com o tempo, fomos percebendo que os utilizadores guardavam também outro tipo de documentos na app, como apólices de seguros. E começámos a trabalhar com uma seguradora a nível europeu para fazer validações do tipo de serguros que seriam interessantes para a aplicação”, explica.

Em janeiro de 2020, a Keep Warranty chegou aos 100 mil downloads e Romana Ibrahim explica que, destes, 70% são utilizadores ativos, com um rácio médio de utilização de uma vez por semana, “provando que vão à Keep Warranty não só pela questão das faturas, mas por causa de outros documentos”.

Por cada seguro contratualizado através da app, a startup fica com uma comissão variável, consoante o tipo de seguro. A média ronda os 10%, diz a CEO. A empresa emprega atualmente 7 pessoas e contratou a consultora KPMG para permitir a entrada de novos investidores na empresa.