O treinador do FC Porto disse esta segunda-feira que vai apresentar “o melhor ‘onze’ para ganhar” ao Académico de Viseu, na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal de futebol, apesar da proximidade do clássico com o Benfica.

“Em termos estratégicos, não muda nada. Observámos aquilo que é o estado da equipa, nos diferentes parâmetros, e vamos escolher o melhor ‘onze’ para ganhar. Olhamos para o momento atual do FC Porto com o único pensamento de ganhar o próximo jogo”, garantiu Sérgio Conceição, em conferência de imprensa.

O técnico dos “dragões” elogiou as qualidades defensivas do adversário, não obstante disputar o escalão secundário, e abordou ainda a goleada no Bonfim, onde os portistas venceram o Vitória de Setúbal, por 4-0, na 19.ª jornada da I Liga. “No último jogo, foi pouco realçado o que fizemos: para a crítica houve muito demérito do Vitória de Setúbal, mas eu acho que houve muito mérito do FC Porto”, referiu o treinador da equipa portuense, segunda classificada do campeonato, a sete pontos do líder Benfica.

Sobre a formação comandada por Rui Borges, Sérgio Conceição apontou muitas qualidades, sobretudo no setor defensivo, e realçou a importância da prova para o FC Porto.

“É um jogo importante, uma meia-final da Taça, contra uma equipa que tem feito um trajeto interessante no campeonato e muito interessante na taça. Salvo erro, é a quinta melhor defesa no campeonato e na Taça só sofreu um golo, contra equipas da mesma valia. Queremos fazer um bom jogo e ganhar. É um jogo importante, uma meia-final da Taça e damos valor a todas as competições, como tem acontecido desde que estou aqui. Esta é uma competição importante para nós”, reforçou.

Sérgio Conceição recusou abordar já o jogo com o Benfica, próximo adversário na I Liga, que se deverá revelar muito importante na luta pelo título, colocando todas as atenções no duelo com o Académico de Viseu. “Era uma grande falta de respeito falar de outro jogo. O Académico é uma equipa histórica e é uma meia-final da Taça. Cada jogo é uma oportunidade para os jogadores demonstrarem que merecem estar no ‘onze’. Olhamos para o jogo dessa forma e os jogadores também”, frisou.

Questionado sobre o facto de o FC Porto, sob o comando de Sérgio Conceição, ter pouco sucesso nas taças, o treinador deixou bem clara a vontade de vencer, afirmando que o que esteve na base da ausência de troféus “foram pormenores”.

“Se me tira a vontade de ganhar jogos, vou-me embora, nem há questão. Comigo, o FC Porto tem chegado, praticamente, sempre ao fim de todas as competições. Obviamente, foram os pormenores que decidiram, porque já podíamos ter uma mão cheia de troféus no museu. Temos de estar mais atentos aos pormenores para sermos mais felizes do que fomos nestes dois anos e meio”, afirmou.

Os dois jogos das meias-finais frente ao Académico de Viseu disputam-se no espaço de uma semana, ao contrário do que aconteceu no ano passado, uma situação no calendário que agrada a Sérgio Conceição. “Prefiro que seja assim, que não haja um mês e meio de intervalo entre os dois jogos”, rematou o técnico.

O FC Porto, segundo classificado da I Liga, e o Académico de Viseu, nono colocado da II Liga, encontram-se na terça-feira, às 20:45 horas, no Estádio Municipal do Fontelo, em Viseu.