Para quem gosta de acompanhar as aventuras dos jogadores portugueses pelas equipas estrangeiras e pelas competições europeias, as quintas-feiras voltaram a ser dias cheios de picos de interesse. Exceção feita às já numerosas quatro equipas portuguesas que estão nos 16 avos de final da Liga Europa, entravam esta semana em competição 15 jogadores portugueses, já para não falar dos quatro treinadores que também orientam clubes que estão na segunda competição europeia. E se o Wolverhampton é o óbvio líder neste ranking, a verdade é que o Eintracht Frankfurt também contribui com dois elementos: dois elementos que esta quinta-feira saíram a sorrir.

Em casa, contra o RB Salzburgo, André Silva foi titular na frente de ataque dos alemães e Gonçalo Paciência começou no banco. O primeiro acabaria por ser substituído pelo segundo a 15 minutos do apito final, numa altura em que o resultado já estava praticamente resolvido a favor do Eintracht. Com um hat-trick decisivo (dois golos na primeira parte e um no início da segunda), o japonês Daichi Kamada garantiu praticamente sozinho a vitória dos alemães e uma vantagem confortável para a segunda mão, disputada na Áustria. Kostic ainda engrossou os números, num golo com assistência de André Silva, e Hee-chan reduziu de grande penalidade, fechando as contas no 4-1 final.

O japonês Kamada marcou três golos ao Salzburgo

Com uma vitória clara contra uma das grandes sensações da Liga dos Campeões desta temporada, o Eintracht Frankfurt assumiu-se como candidato à conquista final da Liga Europa — tal como já foi na temporada passada, quando eliminou o Benfica nos quartos de final e só caiu nas grandes penalidades com o Chelsea nas meias-finais. Mais do que isso, os alemães acabaram por dar um banho de realidade ao Salzburgo, que caiu da Champions com o rótulo de favorito a uma surpresa na Liga Europa mas pode acabar por não corresponder às expectativas. Até porque perdeu dois dos principais destaques da primeira metade da temporada: o japonês Minamino, que se mudou para o Liverpool, e o explosivo Haaland, que está a fazer furor no Borussia Dortmund.

Quanto a André Silva, o avançado português leva cinco golos em 20 jogos esta temporada ao serviço do Eintracht Frankfurt e parece querer acelerar para o Euro 2020, numa fase da Seleção Nacional em que os nomes para a frente de ataque começam a estar em overbooking. Já Gonçalo Paciência, que tem sido a opção preferencial no setor ofensivo dos alemães e tem dez golos em 36 jogos, parece estar em vantagem na corrida pela convocatória para o Europeu.