Os Açores vão reabrir creches e jardins de infância e retomar as visitas a lares de idosos, de forma faseada, consoante a evolução do surto da Covid-19 nas diferentes ilhas, até 1 de junho, foi esta sexta-feira anunciado.

“Todos temos consciência dos condicionamentos, mas estamos conscientes da importância que a reabertura destes creches, com as melhores condições possíveis. Atendendo às circunstâncias, é fundamental para que os pais possam retomar as suas atividades e normalizar um pouco a sua vida profissional”, disse hoje a secretária regional da Solidariedade Social dos Açores, Andreia Cardoso, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

Creches, jardins de infância, centros de atividades ocupacionais, centros de dia e centros de noite retomam a atividade em 25 de maio, nas ilhas do Pico, Faial, Terceira e São Jorge, onde não há registo de novos casos da Covid-19 há mais de um mês, e em 01 de junho nas ilhas de São Miguel e Graciosa.

Nas ilhas das Flores, Corvo e Santa Maria, que não registaram qualquer caso de infeção pelo novo coronavírus, estes serviços reabriram no dia 6 de maio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A reabertura decorreu com normalidade. Naturalmente que nem todos os pais optaram ainda nesta fase por colocar as crianças nestas respostas sociais, o que também ajuda a um reinício mais tranquilo. Acreditamos que isso vai acontecer nestas próximas quatro ilhas a reabrir”, salientou Andreia Cardoso.

Até 1 de junho, os trabalhadores com filhos menores de 12 anos podem continuar a recorrer a um apoio social e às faltas justificadas para cuidarem dos filhos, mesmo nas ilhas que reabrem estes serviços mais cedo.

Os Centros de Atividades de Tempos Livres, também já reabertos nas ilhas das Flores, Corvo e Santa Maria, onde foram retomadas as aulas presenciais em todos os níveis de ensino, deverão reabrir a tempo inteiro nas restantes ilhas do arquipélago, apenas no final do ano letivo.

Já as visitas a estruturas residenciais para idosos, suspensas desde o final de março, serão retomadas na segunda-feira, dia 18, nas ilhas de Santa Maria, Flores e Corvo, no dia 25 nas ilhas do Pico, Faial, Terceira e São Jorge e no dia 01 de junho em São Miguel e Graciosa.

Os idosos já estão há muito tempo sem visitas de familiares, pese embora tenham sido criados novos canais de comunicação com a família, como as videochamadas, mas a verdade é que os idosos ficam ansiosos por não verem os familiares e os familiares também ficam pouco tranquilos”, frisou a secretária da Solidariedade Social, defendendo que é fundamental retomar estas visitas para assegurar a “estabilidade emocional” dos idosos.

No lar da Santa Casa da Misericórdia do Nordeste, na ilha de São Miguel, foram infetados com o novo coronavírus 38 utentes, dos quais 12 morreram.

As visitas aos lares ocorrerão com agendamento prévio, em cumprimento de regras de higienização, com distanciamento físico e utilização de máscara.

É um contacto muito condicionado. Será reduzido a uma vez por semana, em horário limitado, num espaço específico para o efeito, sem contacto físico. Todos estes aspetos são fundamentais. É um regresso à normalidade possível, mas não colocando de todo em causa a segurança que tem de ser garantida naqueles estabelecimentos tão importantes para os idosos”, sublinhou Andreia Cardoso.

Nas creches e jardins de infância também há regras de higiene e distanciamento social a cumprir, embora a governante admita que sejam mais difíceis de implementar.

“Não é possível garantir determinadas condições de distanciamento entre as crianças, enquanto elas estão em atividade, mas é possível dinamizar as atividades, que, no fundo, garantem aqui algum distanciamento dentro daquilo que é razoável com crianças de tão tenra idade”, afirmou.

Entre outras medidas, os funcionários das creches e jardins de infância serão obrigados a utilizar máscara e terão de ser instalados dispositivos de desinfeção das mãos em locais estratégicos e onde não seja possível lavar as mãos.

Devem ser adotados horários desfasados para entrada e saída das crianças e para a utilização de refeitórios e os espaços e brinquedos de utilização comum devem ser desinfetados regularmente.

Os funcionários devem manter o distanciamento entre pessoas, “com exceção da proximidade necessária para as atividades inerentes às suas funções, designadamente com as crianças” e é recomendado que “monitorizem a temperatura corporal e sintomas como a tosse e falta de ar, no início e fim da jornada de trabalho”.

Nos lares de idosos já estão a decorrer rastreios a utentes e funcionários e também os trabalhadores das restantes valências serão testados à infeção pelo novo coronavírus antes da reabertura.

Desde o início do surto foram confirmados 145 casos da Covid-19 nos Açores, 34 dos quais atualmente ativos, tendo ocorrido 95 recuperações (65 em São Miguel, 11 na Terceira, sete no Pico, seis em São Jorge, três no Faial e três na Graciosa) e 16 mortes (em São Miguel). A ilha de São Miguel é a que registou mais casos (107), seguindo-se Terceira (11), Pico (10), São Jorge (sete), Faial (cinco) e Graciosa (cinco).