Os Model 3 que são comercializados nos Estados Unidos da América e na Europa são todos produzidos na Califórnia e sempre com carroçaria fechada. Ainda assim, há uma versão descapotável do best seller da marca norte-americana, também ela fabricada na Califórnia mas, por estranho que pareça, não é produzida em instalações da Tesla.

O Model 3 é uma berlina de três volumes e quatro portas, disponibilizado com três capacidades de bateria (Standard, Standard Plus e Long Range/Performance), com tracção atrás ou às quatro rodas, caso possua dois motores e vários níveis de potência. Descapotáveis, como o que a BMW oferece com base no Série 3 ou a Mercedes baseado no Classe C (modelos que têm dimensões similares ao da Tesla), o construtor de Palo Alto nunca revelou interesse em produzir. E nem mesmo Elon Musk, o CEO e a alma do negócio, nunca terá pensado verdadeiramente nisso, sendo a única versão aberta que é esperada para os próximos tempos aquela que será baseada no novo Roadster.

Mas se a Tesla não vê futuro nos cabrios de três volumes, que conseguem conciliar habitáculo generoso e mala a condizer, há quem deseje cobrir esta falha na gama da marca americana e tenha avançado para a transformação do popular Model 3. Trata-se da Newport Convertible Engineering (NCE), nas proximidades de Los Angeles, que decidiu cortar o tejadilho à berlina eléctrica, reforçar a estrutura para a compensar da rigidez que perdeu e aplicar-lhe uma capota articulada em lona.

6 fotos

A NCE, empresa especializada em converter qualquer tipo de veículo em cabriolet, do Classe G a um SUV da Lexus, não sentiu particular dificuldade em transformar o Model 3, que dotou com uma traseira mais elevada para não limitar tanto a bagageira. Sem que, contudo, isso lhe permita “esconder” a capota num alvéolo quando está recolhida.

Estranhamente, a NCE optou por manter o aro central, numa solução similar ao que a Volkswagen adoptou para o Golf descapotável, que está longe de ser a mais elegante ou sofisticada.

Com a capota fechada, o Model 3 tão pouco fica particularmente atractivo, com um “pilar C” de desenho estranho e que parece ter sido feito numa oficina de vão de escada. Se a solução estética para a capota não nos parece atraente, o mesmo acontece com o preço, pois a conversão implica um custo de 29.500 dólares, ou seja, cerca de 27.000€. Um valor elevado, que sobe mais 10.000€ caso o cliente deseje que a capota em lona tenha accionamento eléctrico.

O carro já começou a ser proposto nos EUA, mas deverá surgir igualmente na Europa, caso o representante da NCE, localizado em Barcelona, consiga homologar o veículo no Velho Continente, em termos de segurança, e consiga cativar o gosto dos clientes europeus.