A Autoridade da Concorrência (AdC) deu luz verde à compra pelo grupo Sonae do controlo exclusivo da IVN – Serviços Partilhados, sociedade que comercializa artigos de vestuário da marca Salsa, revela um aviso publicado.

A decisão do Conselho de Administração da AdC de não se opor à operação de concentração, tomada na terça-feira e publicada no site da autoridade, justifica-se por a mesma não ser “suscetível de criar entraves significativos” à concorrência efetiva nos mercados.

A operação tinha sido notificada à AdC em 19 de abril, resultante da compra, pela Fashion Division, do controlo exclusivo sobre a IVN – Serviços Partilhados.

A Sonae já tinha, em 2016, comprado outros 50% do capital da empresa, através da Sonae SR, concretizando agora a compra do restante capital, através da Fashion Division, uma sociedade indiretamente detida pelo grupo liderado por Cláudia Azevedo e que se dedica à comercialização grossista e retalhista de vestuário pronto-a-vestir.

A nível retalhista, a Fashion Division explora as insígnias MO e Salsa, além de atividades no mercado do comércio de vestuário e acessórios para bebés e crianças sob a insígnia Zippy Kidstore. A nível grossista, vende vestuário infantil através da Global Usetbi.

A IVN é uma sociedade controlada conjuntamente pela Fashion Division e pela Wonder Investments, estando ativa no desenvolvimento e conceção, confeção (acabamentos), distribuição e comercialização – grossista e retalhista – de artigos de vestuário de marca Salsa.

Há mais de dois meses, em 10 de abril, em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMV), a Sonae SGPS informou que a Wonder Investments SGPS tinha comunicado ter exercido o direito contratual “de venda à Sonae Fashion de 50% da IVN”, mas que a concretização da venda estava condicionada à não oposição da Autoridade da Concorrência.

Criada em 1994, a Salsa é uma marca portuguesa de jeanswear de renome internacional, sublinha o comunicado.

Trata-se de uma empresa internacional, cujos produtos podem ser encontrados em mais de 35 países e mais de 60% do seu volume de negócios tem origem em mercados internacionais.

Em 2019, a empresa registou vendas a clientes finais superiores a 200 milhões de euros, “obtendo níveis assinaláveis de rentabilidade e de geração de cash flow”, refere ainda a Sonae.

A Sonae é uma multinacional que gere um portefólio diversificado de negócios nas áreas de retalho, serviços financeiros, tecnologia, centros comerciais e telecomunicações.