O Mundial de Fórmula 1 vai regressar a Portugal em 25 de outubro, 24 anos depois da última vez, agora no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, anunciou oficialmente esta sexta-feira a organização. A notícia sobre a decisão foi adiantada na quinta-feira à tarde pelo Observador.

Fórmula 1 vai mesmo regressar a Portugal em outubro, 24 anos depois

O Grande Prémio de Portugal vai ser disputado entre 23 e 25 de outubro, estando prevista a presença de público nas bancadas, disse à Lusa o presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK), Ni Amorim.

A designação oficial do Grande Prémio de Portugal 2020 será “Formula 1 Heineken Portuguese Grand Prix”, tal como surge no site oficial da Fórmula 1.

“Estamos muito felizes por continuar a fazer fortes progressos na finalização dos planos para a temporada de 2020 e estamos entusiasmados por acolher Nurburgring, Portimão e Imola no calendário revisto”, declarou o norte-americano Chase Carey, CEO da Formula 1.

A Formula 1 considera a pista de Portimão, inaugurada no outono de 2008, “uma instalação de classe mundial”. A pista, salienta o site da organização, foi construído em apenas sete meses, com um custo de 195 milhões de euros.

Entre as equipas de F1 serão poucos os pilotos com alguma experiência no circuito português. A pista foi usada para testes de pré-época da categoria no Inverno da temporada de 2008-2009. No entanto, de acordo com a F1, alguns pilotos já percorreram a pista de Portimão “à séria” Daniel Ricciardo, Charles Leclerc ou Valtteri Bottas, mas durante as respetivas passagens pelas categorias junior.

A F1 compara o circuito de Portimão à pista de Austin (o Circuito das Américas). Porquê? Porque integra no traçado uma elevação pronunciada. O circuito, desenhado por Ricardo Pena, obriga os pilotos a uma subida e depois a uma descida abrupta até à curva final (curva Galp, à direita) antes da reta da meta. Outro ponto de interesse para os pilotos será uma curva com duplo apex, a fazer lembrar a famosa Acque Minerale, da pista de Imola.

Já eram conhecidas as 10 primeiras provas do novo calendário, cuja ronda inicial se disputou em Spielberg, na Áustria, em 05 de julho, com o circuito austríaco a receber outra prova no fim de semana seguinte, antes da realização do GP da Hungria, em 19 de julho.

A última vez que a Fórmula 1 passou por Portugal foi em 1996, no Estoril.

O canadiano Jacques Villeneuve (Williams) foi o último vencedor da prova, deixando o seu companheiro de equipa, o britânico Damon Hill, na segunda posição. O alemão Michael Schumacher, em Benetton, completou o pódio, mas viria a perder o título nesse ano para Hill.

O início da competição estava previsto para 15 de março, na Austrália, mas a prova foi cancelada devido à pandemia de covid-19.

Ao todo, já foram canceladas ou adiadas 13 das 22 corridas da temporada, mas os responsáveis do campeonato esperam ter um calendário com 15 a 18 corridas até ao fim deste ano.

A sucessão de cancelamentos abriu a porta à utilização de novos circuitos na segunda metade da temporada do Mundial de Fórmula 1, como o circuito de Mugello ou o Autódromo Internacional do Algarve.