Culpado. Foi assim que Christoph Metzelder, antigo internacional alemão de futebol, defesa do Borussia Dortmund ao longo de sete anos e campeão da La Liga pelo Real Madrid, se declarou logo durante a fase de investigação do processo de posse e partilha de pornografia infantil que, em setembro passado, foi tornado público pelo Bild.

De acordo com o tablóide alemão, na sequência de buscas à casa do ex-internacional e da apreensão do seu telemóvel e do seu computador portátil, Metzelder foi a 4 de setembro de 2019 acusado de enviar para pelo menos três mulheres, através do Whatsapp, várias fotografias e vídeos contendo imagens explícitas de atos sexuais com crianças e jovens. Agora, uma investigação da Der Spiegel revelou que o antigo futebolista se declarou culpado das acusações.

No total, Christoph Metzelder, de 39 anos, foi acusado da posse de 297 ficheiros com conteúdos pornográficos infantis e juvenis e de ter enviado 29 destes ficheiros, fotográficos e em vídeo, a três mulheres, entre julho e setembro do ano passado.

Estas revelações vêm a público depois de o ex-jogador do Real Madrid ter tentado impedir o Tribunal Distrital de Dusseldorf de dar quaisquer informações sobre o caso à imprensa — até agora, apesar de o processo ser público, não estava sequer identificado com o nome do ex-futebolista.

O Tribunal Administrativo da mesma cidade decidiu que na balança entre o interesse privado e o público deveria prevalecer o segundo, revela a Der Spiegel, citando o documento, que faz referência à ideia pública generalizada de uma “elevada integridade moral” de Christoph Metzelder, incompatível com os crimes por ele confessados.

“Ele próprio criou durante muitos anos a impressão de ser uma pessoa que acompanha e apoia os jovens de uma forma responsável”, pode ler-se na decisão do tribunal que dá luz verde ao Tribunal Distrital de Dusseldorf para comunicar à imprensa novas informações sobre o processo.