Numa conferência virtual da Bloomberg Markets and Finance, com o apoio do Governo alemão, o CEO da Tesla, Elon Musk, começou por afirmar que os veículos eléctricos estão cada vez mais capazes de satisfazer uma franja significativa do mercado, ao assegurar autonomias superiores a 600 km e com tendência para continuarem a subir.

O fabricante norte-americano está a proceder à construção da Gigafactory em Berlim que, além de linhas de produção para o Model 3 e Model Y destinados ao mercado europeu, terá instalações destinadas à produção de baterias, bem como de design e desenvolvimento de novos modelos, mais adaptados ao mercado do Velho Continente.

Mais à frente no vídeo da conferência, Musk revela que já sentiu muitas dificuldades em encontrar um local onde estacionar o seu Model S (com 4,97 metros de comprimento) durante as suas regulares visitas a Berlim, o que o levou a perceber melhor os motivos que levam muitos condutores europeus a preferir veículos compactos, tipo VW Golf, com 4,2 metros de bitola.

Face ao facto de o modelo mais pequeno da Tesla ser o Model 3, com 4,69 m, similar a um Audi A4 ou BMW Série 3, Musk afirmou que faz todo o sentido conceber um Tesla compacto, com cerca de 4,3 metros de comprimento, o mesmo de um Golf ou de um VW ID.3. O gestor avançou ainda que o modelo será desenhado na Europa, para garantir que estará mais de acordo com o gosto local.

Quanto às linhas, o futuro modelo poderá assumir formas de berlina, hatchback ou de SUV compacto, uma vez que o CEO da Tesla informou que irá auscultar a opinião dos consumidores antes de avançar. E é evidente a preferência dos europeus por modelos tipo SUV.

No que respeita ao investimento necessário para produzir este novo modelo, que se poderá chamar Model 2, não será complexo utilizar a mesma plataforma do Model 3, mas com 30 cm a menos na traseira.