Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O encontro entre PSG e Basaksehir, no Parque dos Princípes, foi esta noite suspenso. Ainda no quarto de hora inicial do encontro, a formação turca acusou o quarto árbitro de ter proferido um insulto racista para um dos seus elementos e decidiu abandonar o relvado. Após várias reuniões e encontros que se seguiram, e apesar de se ter colocado a hipótese de retomar a partida sem o visado, o jogo será retomado esta quarta-feira às 17h55.

De acordo com os meios internacionais, o quarto árbitro, Sebastian Coltescu, disse ao juiz principal, o também romeno Ovidiu Hategan “Expulsa o negro”, apontando para Pierre Webó, que estava sentado no banco e que teria criticado uma decisão. O próprio clube colocou pouco depois nas redes sociais uma imagem com o lema da UEFA, “Diz não ao racismo”, e a frase “Respeito”. De referir que um delegado da UEFA se deslocou ainda ao relvado para impedir que a formação visitante deixasse o campo mas a equipa foi mesmo para os balneários. “O negro está ali, vai lá ver quem é. O negro que está ali, não pode agir desta forma”, é a frase em causa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Foi percetível também através da transmissão a conversa entre Demba Ba e o quarto árbitro. “Porque não dizes só ‘este gajo’? Tu também dizes ‘Expulsa o branco’? Então porque tens de dizer ‘Expulsa o preto’? Ouve o que estou a dizer, ouve o que estou a dizer… Porquê isto?”, diz o avançado que está agora no Basaksehir.