Já são conhecidos os nomes propostos para o novo conselho de administração executivo da EDP. Os principais acionistas da elétrica já indicaram cinco nomes para a nova gestão da elétrica que terá sido escolhida por Miguel Stilwell de Andrade, a quem foi confiada a tarefa de constituir equipa depois da indisponibilidade manifestadas por António Mexia e de João Manso Neto, que têm os mandatos suspensos por ordem judicial, no quadro do inquérito judicial do caso EDP.

António Mexia e Manso Neto (suspensos desde julho) vão sair da EDP e dão lugar a Stilwell que será o novo CEO

A principal novidade é a entrada Ana Garrido Pina Marques que horas antes tinha anunciado a renúncia ao cargo que desempenhava no conselho de administração da operadora NOS onde era vice-presidente.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O novo órgão executivo vai ter cinco elementos, um número inferior à anterior administração executiva que foi eleita com nove membros, embora tenha ficado a funcionar com sete depois de em julho terem sido os suspensos de funções, o presidente executivo, António Mexia, e o presidente da EDP Renováveis e administrador da EDP, João Manso Neto. Ficam Miguel Setas, que já é administrador executivo há vários mandatos, Rui Teixeira e Vera Pinto Pereira. Deixam funções executivas Maria Teresa Pereira, António Martins da Costa e João Marques da Cruz.

O novo conselho será votado em assembleia geral extraordinária a 19 de janeiro e vai ter mandato até ao final de 2023.